Tabata diz que vai votar a favor da 2ª instância e se explica. Veja

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) decidiu antecipar o seu voto sobre a prisão em segunda instância. Ela disse que, para tentar representar as pessoas, vai votar a favor da proposta de emenda à Constituição (PEC) que retoma a prisão segunda instância quando essa matéria chegar ao plenário da Câmara. E postou um vídeo nas redes sociais para explicar logo o seu posicionamento e, assim, tentar evitar novas polêmicas como a da reforma da Previdência, quando contrariou a orientação da oposição para votar a favor da proposta.

> Tabata Amaral vê hipocrisia em ataques da esquerda contra ela

"Eu vou me posicionar a favor da prisão em segunda instância. E é muito tentando representar as pessoas, porque eu entendo que essa questão da impunidade machuca muito os brasileiros, porque eles olham para a político e veem que está roubando, está fazendo um monte de coisa errado, está provado e ninguém está fazendo nada, está em liberdade", argumentou a deputada em um vídeo que já teve mais de dois mil comentários nas suas redes sociais. Veja:

Tabata reconheceu que a prisão em segunda instância não vai resolver todo o problema da impunidade no Brasil. Por isso, também prometeu continuar trabalhando em prol da celeridade e da não seletividade da justiça depois dessa votação para que os mais pobres possam ter o mesmo atendimento que os mais ricos no processo judicial. Ela disse até que trabalha em uma proposta de reforma judicial por conta disso.

> Parlamentares lançam frente para cobrar votação da 2ª instância

"Tem que acelerar os processos na primeira e na segunda instância, onde o negócio realmente é lento. E a gente não pode esquecer das pessoas mais pobres desse país. Não pode esquecer que a justiça é sim seletiva, que quem é preso e punido em sua maioria são os pobres, os jovens e os negros da periferia. A gente tem que dar uma resposta a isso. Então, o que posso fazer agora é me posicionar porque entendo que as pessoas não aguentam mais a impunidade no Brasil. Voltamos a ter prisão em segunda instância, se for aprovado. Mas não vou deixar quieto isso tudo porque isso prejudica sim quem é mais pobre", concluiu a deputada.

Tabata também já votou diferente da maior parte da oposição na reforma da Previdência, na MP da Liberdade Econômica e no novo marco legal do saneamento básico, que foi aprovado nessa quarta-feira (12) na Câmara.

> Maia e Tabata apresentam pacote de combate à pobreza da Câmara

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!