Senadores e ministros do TCU tentam selar paz entre Maia e Guedes

Está marcado para a noite desta segunda-feira (5) um jantar na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas. O evento tenta selar um entendimento entre diversos agentes políticos e é o primeiro que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), participam desde quando intensificaram desavenças públicas há um mês.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

O Congresso em Foco confirmou com um dos que vão estar presentes no jantar desta que segunda que também foram convidados os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Kátia Abreu (PP-TO), o presidente do TCU, José Múcio Monteiro, o ministro do TCU Vital do Rêgo, e o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

"Vamos procurar insistir nas convergências, temos pouco tempo para o final do ano. O que temos de convergência? O que podemos fazer para ajudar o país?", disse a fonte ouvida pelo site.

O encontro não tem um assunto pré-definido e vai ser uma reunião informal. A maioria dos presentes no evento são defensores da manutenção do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas ao nível de inflação do ano anterior. Nesta segunda, a regra fiscal foi defendida por Maia e pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator do orçamento de 2021 e da proposta de emenda à Constituição (PEC) que vai criar o novo programa social almejado pelo governo federal.

Guedes e Maia têm travado um embate sobre a reforma tributária. O presidente da Câmara articula um fundo de compensação para estados e por isso foi alvo do ministro da Economia, que afirma não ter verba para isso. Já Maia critica a ideia defendida por Guedes de criação de um novo imposto sobre transações.

Outro trecho da pauta econômica que está indefinido é a fonte de financiamento para o novo programa social. Além de não haver consenso sobre o conteúdo da iniciativa, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso, que tem o objetivo de ajudar a definir o texto do orçamento de 2021, ainda não foi instalada. O funcionamento estava previsto para começar na semana passada, mas foi adiado para esta terça-feira (6) após não haver um acordo sobre a presidência do colegiado.

O senador Renan Calheiros publicou nesta segunda uma mensagem nas redes sociais defendendo a criação de um novo programa que amplie o Bolsa Família.

"A ampliação do bolsa família passa por cortar subsídios ineficientes, eliminar salários acima do teto no serviço público e alíquotas de IR [Imposto de Renda] maior para salários de 50, 70, 100 mil. É minha visão, que depende da aceitação da maioria da política", declarou

.

A política é insubstituível na calibragem das medidas anti crise. Fui relator do bolsa família; criei, por resolução, a...

Publicado por Renan Calheiros em Segunda-feira, 5 de outubro de 2020

>Guedes reclama de uso de precatórios e entrega do Renda Cidadã fica incerta

>Decisão de segurar nova CPMF foi de Bolsonaro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!