Centrão e Maia disputam comando da Comissão de Orçamento

A presidência da Comissão Mista de Orçamento (CMO) está indefinida por conta de uma disputa que antecipa o que deve acontecer na eleição para a presidência da Câmara em fevereiro de 2021. O líder do PP, Arthur Lira (AL), e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), travam uma queda de braço para colocar um aliado no comando da comissão.

O impasse acontece por causa da mudança de composição dos blocos partidários ao longo deste ano. No final de julho, DEM e MDB deixaram um bloco liderado por Lira, que tinha como objetivo formar a CMO.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

>Centrão reivindica mais espaço na Comissão de Orçamento e instalação é adiada

Pelo acordo firmado no início do ano, o presidente da CMO seria o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA). Com a saída dos dois partidos do bloco, Lira tenta indicar outro nome para a presidência da comissão: a deputada Flávia Arruda (PL-DF).

Além disso, o líder do PP, que busca apoio para suceder Maia na presidência da Câmara, tenta ajudar PSC e Pros, que reivindicam mais assentos em relação ao acordado inicialmente.

A instalação da CMO estava prevista para terça-feira (29), quando Elmar ia ser anunciado presidente. No entanto, o líder do PP agiu para adiar a instalação para a próxima semana e tenta construir um acordo até lá. O presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que se não houver acordo a composição da comissão vai ser definida voto a voto entre os membros dos blocos partidários.

Integrantes do Centrão consultados pelo Congresso em Foco confirmaram a indicação de Flávia Arruda. Eles dizem que a indicação de Elmar não representa o bloco partidário majoritário e que se houver candidatura será avulsa.

Radar do Congresso: deputados são mais governistas que deputadas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!