Em reunião, Maia sugere a Bolsonaro que resolva teto antes de Renda Cidadã

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reuniu na manhã desta segunda-feira (5) com o presidente Jair Bolsonaro e o relator do orçamento de 2021 e da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, senador Márcio Bittar (MDB-AC). Também estiveram no café da manhã os ministros da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Em divergência aberta com Maia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não esteve presente no encontro. Há previsão de que os dois se encontrem em jantar hoje à noite na residência do ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU). O jantar está sendo articulado pelos senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Kátia Abreu (PP-TO) e visa aparar as arestas entre as duas autoridades.

Após embates públicos, Maia e Guedes podem se reunir para reaproximação

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

No café da manhã no Alvorada, foram discutidos o orçamento de 2021 e o financiamento do programa Renda Cidadã, ampliação do Bolsa Família que o governo pretende viabilizar a partir do ano que vem. A ideia é que o programa imprima a marca da gestão Bolsonaro e dê continuidade ao auxílio emergencial, que será encerrado em dezembro deste ano. Maia defendeu, em entrevista ao G1, que a solução para o programa não pode romper o teto de gastos públicos.

“A solução do Renda Cidadã tem que ser posterior à solução do teto de gastos. Isso é necessário para garantir que as despesas ficarão controladas nos próximos 24 meses. É preciso resolver os gatilhos imediatamente. Temos pouco tempo para solucionar os problemas”, alertou Maia. “Temos que unir esforços para resolver a situação fiscal do país”, completou o presidente da Câmara.

A apoiadores na saída do Alvorada, Bolsonaro comentou o encontro com Maia. “Tô errado? Quem é que faz a pauta na Câmara?”, perguntou retoricamente ao grupo de simpatizantes. Bolsonaro disse que irá sancionar, nos próximos dias, o projeto que modifica o Código de Trânsito para aumentar a validade da carteira de motorista e aumentou o número de pontos para a suspensão da habilitação.

Governo autoriza emprego da Força Nacional no Pantanal sul-matogrossense

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!