Chefes dos três Poderes já contraíram covid-19. Veja lista de autoridades

Em sete meses da decretação do estado de calamidade pública no Brasil e com o país com mais de cinco milhões de casos confirmados e ultrapassando as 150 mil mortes por covid-19, a lista de autoridades públicas que contraíram o novo coronavírus inclui os chefes do Executivo, Legislativo e Judiciário, governadores, prefeitos, ministros de Estado e parlamentares de diversos estados e partidos políticos.

Noventa e oito autoridades do alto escalão da política nacional já contraíram o novo coronavírus, segundo levantamento do Congresso em Foco. Veja abaixo a relação completa, e, se perceber que esquecemos de listar alguma autoridade, mande email para redação@congressoemfoco.com.br.

Loading...

Loading...

Em 7 de julho, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ter testado positivo para a doença. Bolsonaro disse ter tido febre acima de 38 graus e propagou uso da hidroxicloroquina. O medicamento, no entanto, não tem comprovação de eficácia para o tratamento do vírus. A primeira-dama  Michelle Bolsonaro também testou positivo para a covid-19 no dia 30 de julho.

Ministros

Doze ministros de Estado foram diagnosticados com a covid-19: Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI); Bento Albuquerque, do Ministério de Minas e Energia (MME); Onyx Lorenzoni, do Ministério da Cidadania; Milton Ribeiro, do Ministério da Educação; Marcos Pontes, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações; Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União (CGU); Walter Souza Braga Netto, da Casa Civil; Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência da República; Marcelo Álvaro Antonio, do Ministério do Turismo; Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo da Presidência da República; o ministro das Comunicações, Fábio Faria e o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

A advogada e tesoureira do Aliança pelo Brasil, Karina Kufa, o ex-secretário de Comércio Exterior, Marcos Troyjo, e o ex-porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, também receberam diagnósticos positivos.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, chegou a se submeter a exames e a ficar em isolamento depois de um servidor com que teve contato ter sido diagnosticado com o novo coronavírus, mas o resultado do teste do vice deu negativo.

Governadores

Nos estados, dezesseis governadores já foram contaminados, além de outros dois vice-governadores que também tiveram a doença causada pelo novo coronavírus e do governador em exercício do Rio de Janeiro, Claudio Castro (PSC). Destes, nenhum apresentou quadros graves da doença e a maioria já anunciou recuperação.

Prefeitos de capitais

Entre os prefeitos de capitais, seis dos 26 receberam diagnóstico para covid-19. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), de 74 anos, chegou a ser hospitalizado e despachou do hospital. “Considero que esse encontro com o novo coronavírus era inevitável, até pela função que exerço”, escreveu ele em mensagem no Twitter.

As primeiras autoridades brasileiras diagnosticadas com o novo coronavírus integraram a comitiva presidencial de Jair Bolsonaro na viagem aos Estados Unidos no início de março. O atual secretário-executivo do Ministério das Comunicações e ex-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wajngarten, foi o primeiro a receber o diagnóstico positivo.

Depois de um imbróglio judicial em torno da publicidade dos exames a que o presidente se submeteu, Bolsonaro apresentou resultados que mostravam que ele não havia sido infectado.

Senadores

No Senado, ao menos 16 dos 81 senadores tiveram covid-19. Um deles foi o presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), que ficou afastado dos trabalhos legislativos por cerca de três semanas ainda no início da pandemia.

O Senado não informou a quantidade de servidores diagnosticados, mas sabe-se que o Secretário-Geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira, testou positivo em maio. Apesar da participação dos senadores por videoconferência nas sessões da Casa, Alcolumbre, assessores e técnicos têm desempenhado o trabalho presencialmente de uma sala de comando.

Deputados

Na Câmara dos Deputados, pelo menos 41 dos 513 deputados anunciaram contaminação pelo novo coronavírus. Entre eles, o presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Entre os deputados, apenas o presidente da Casa e os líderes partidários têm participado das sessões presencialmente, os demais entram por videoconferência. Até 30 de junho, foram registrados 60 casos de funcionários da Câmara acometidos pela mesma enfermidade, entre servidores efetivos e comissionados.

Na cúpula do Judiciário, o primeiro ministro a ser diagnosticado com covid-19 foi Luiz Fux, dias após assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). A ministra Cármem Lúcia também testou positivo para covid-19. Em seguida, o ex-presidente da corte Dias Toffoli também recebeu diagnóstico positivo.

Até agora, nenhuma morte foi registrada entre autoridades federais, mas há relatos de óbitos de correligionários, conhecidos, além de ex-parlamentares e deputados estaduais. Uma das vítimas da covid-19 foi o médico e ex-senador pelo Amapá Papaléo Paes, de 67 anos, morto em junho. Em maio, o deputado estadual carioca Gil Vianna (PSL) também morreu vítima da doença.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!