Mesmo após 555 casos de covid-19, governador do DF afrouxa isolamento

Após um mês de quarentena decretada, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), optou pelo afrouxamento do isolamento social, que é visto pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como a medida mais eficaz para frear o avanço da pandemia de covid-19. Em novo decreto publicado na última quinta-feira (9), o governador decidiu por liberar o funcionamento do Sistema S, lojas e fábricas de móveis e comércio de eletrônicos.

> Três pessoas por quarto e sem home office: as dificuldades do isolamento nas favelas

Pelo novo decreto, que foi publicado em edição extra do Diário Oficial do DF, as lojas e fábricas que não trabalham com eletroeletrônicos ou moveis, seguem sem poder funcionar.

O Sistema S, reúne diversas entidades voltadas a assistência social, pesquisa e assistência técnica e  treinamento profissional. São considerados, assim, serviços de interesse público, mas não são serviços essenciais, que é a única categoria orientada pela OMS a permanecer funcionando.

Eis os serviços do Sistema S que poderão reabrir: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Social do Comércio (Sesc), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), Serviço Social de Transporte (Sest), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat).

As demais restrições seguem até o dia 31 de maio. Mesmo com a autorização para a reabertura de lojas de móveis os shoppings, por exemplo, seguirão fechados.

O transporte público no Distrito Federal não foi afetado pela pandemia de coronavírus, Ibaneis manteve ônibus e metrôs em normal funcionamento. De igual maneira, a construção civil seguiu a todo vapor, pois o governador também permitiu o funcionamento das obras.

Permitida a atuação, as construtoras não pararam as atividades e os operários seguem tendo de compartilhar, durante o deslocamento até o trabalho ou nas obras, ambientes com várias pessoas, tocar em objetos que foram tocados por outros, sem equipamentos de proteção individual. A Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como o Ministério da Saúde, defende o isolamento como o meio mais seguro de se proteger contra a pandemia.

O Distrito Federal já tem 555casos registrados de coronavírus e 14 óbitos, ocupando a 9ª posição entre os locais mais afetados no país.

Ao manter tais atividades em andamento, o governador do Distrito Federal incentiva a aglomeração de pessoas nesses comércios e nos transportes públicos. Para se ter uma ideia, somente na Ceilândia, mais de 50% dos moradores precisam ir até o Plano Piloto, região central de Brasília, para trabalhar. E é justamente no Plano Piloto que está a maioria dos casos de covid-19 no DF. Ao afrouxar, aos poucos, as regras do isolamento social, Ibaneis acabará por incentivar que esses trabalhadores voltem a pegar transporte público e a se aglomerar nos comércios.

> Contrariando OMS e Ministério da Saúde, construção civil trabalha normalmente no DF

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!