Para Augusto Aras, atitude de Rodrigo Janot não deve macular o MPF

O procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, se pronunciou pela primeira vez sobre a polêmica gerada em torno da fala do ex-PGR Rodrigo Janot, que confessou que entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) armado para matar o ministro Gilmar Mendes. Aras declarou que considera inaceitáveis as atitudes de Janot.

> Detalhes da decisão de Moraes: Janot é alvo da PF para evitar novos atentados

Em nota divulgado pelo Ministério Público Federal (MPF), Aras afirmou que a instituição está acima dos desvios publicizados. "O Ministério Público Federal é uma instituição que está acima dos eventuais desvios praticados por qualquer um de seus ex-integrantes", diz a nota.

Classificando como inaceitáveis as atitudes de Rodrigo Janot, o atual PGR reafirmou a  qualificação técnica  do MPF. "O procurador-geral da República, Augusto Aras, considera inaceitáveis as atitudes divulgadas no noticiário a respeito de um de seus antecessores. E afirma confiar no conjunto de seus colegas, homens e mulheres dotados de qualificação técnica e denodo no exercício de sua atividade funcional".

No final da nota, Augusto Aras afirma  que os erros do ex-procurador não pode macular o MP. "Os erros de um único ex-procurador não têm o condão de macular o MP e seus membros. O Ministério Público continuará a cumprir com rigor o seu dever constitucional de guardião da ordem jurídica", finaliza o documento.

> Defesa teme que Rodrigo Janot mate Eduardo Cunha

> Entre agora no Catarse para colaborar  com o jornalismo independente

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!