Secretário de Direitos Humanos da PGR critica ambientalistas, ONGs e OAB

Após ser nomeado procurador-geral da República, Augusto Aras tem anunciado sua equipe. O escolhido para chefiar a Secretaria de Direitos Humanos da Procuradoria-Geral da República (PGR) é Ailton Benedito. Conhecido entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, ele é conservador, acredita que teoria de gênero transforma crianças em cobaias e que a Alemanha está se tornando comunista.

> Augusto Aras assume prometendo mudar forma de atuação do Ministério Público

Ainda ontem o Congresso em Foco divulgou o perfil do novo subprocurador-geral da PRG, Eitel Santiago de Brito Pereira que também é apoiador de Bolsonaro e do golpe de 1964, que instaurou a ditadura militar no país.

> Secretário Geral da PGR apoia Bolsonaro e ditadura, veja o que ele diz

O novo  secretário de direitos humanos da PGR, tem fixado no topo  da sua conta no Twitter, uma publicação que se refere ao caso do menino Ruan, criança cruelmente assassinada pela mãe, que é casada com outra mulher. Para o Ailton,  a orientação sexual da criminosa é que a levou a cometer este ato. "Os assassinatos dos meninos Rhuan e Karol Ramón trazem as marcas culturais do período. São crimes de época. Vítimas indefesas da ideologia de gênero, experimento totalitário que transforma crianças em cobaias humanas".

Ailton compartilhou uma publicação na última sexta-feira (27), quando já havia sido nomeado, o post afirma que "a ideologia socialista tomou conta do direito, numa verdadeira colonização mental".

O novo chefe de direitos humanos da PGR compartilhou uma publicação no último dia 26, em que deduz que não é possível conciliar avanço e desenvolvimento com preservação do meio ambiente e neste caso, o desenvolvimento precisa estar em primeiro plano. “Será que ‘ambientalistas’ não sabem que países com precárias infraestruturas poluem muito a natureza? Para que haja boa infraestrutura, precisamos de progresso e recursos para obras. A histeria relacionada ao CO2 deveria dar lugar ao debate sobre a infraestrutura no 3º Mundo”.

Benedito também acredita que a Alemanha está  se tornando um país socialista e comunista. Em outra publicação compartilhada, também no último dia 26, afirma que a “Alemanha se despede da economia de mercado! Ela está entrando totalmente no plano socialista e no comunismo em concreto”.

Críticas a mídia e ao pensamento “esquerdista” é outro alvo do novo chefe de direitos humanos da PGR. “A militância político-midiática esquerdista faz opção preferencial pelos bandidos”, publicou também no último dia 26.

Em meio à comoção da morte  da pequena Àgatha, de apenas 8 anos, que foi baleada durante uma operação policial no Rio de Janeiro, Ailton Benedito publicou em sua conta no Twitter uma imagem em que tiros de traficantes desviam da população, segundo pensamento esquerdista, enquanto tiros de policiais vão direto nos civis, diz a imagem que foi acompanhado pelo seguinte texto: “Tiros dados por traficantes e policiais, segundo os militantes esquerdistas político-midiáticos camiflados (sic) de jornalistas-artistas-especialistas”.

Ataques à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), imprensa, artistas, ambientalistas e defesa dos direitos humanos quando se trata de suspeitos de crimes como tráfico de drogas, são alvos preferenciais do novo secretário de direitos humanos da PGR.

Ailton tem uma forte atuação no Twitter, onde compartilha  dezenas de posts por dia. A reportagem analisou apenas as publicações do  dia 25 de setembro (véspera da nomeação), até este sábado (28).

> Entre agora no Catarse para colaborar  com o jornalismo independente

> Veja a íntegra do discurso de Jair Bolsonaro na ONU

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!