Bloomberg: instituições devem mostrar que Bolsonaro não está acima da lei

coronavíruscovid-19Jair Bolsonaropandemia
Comentários (1)
Comentar
  • Wisdenil Franco

    Acredito que já passou da hora das nossas Instituições democráticas, e o cidadão brasileiro, principalmente; cobrarem do senhor Presidente desta Nação, mais compostura e zelo pela liturgia do cargo que lhe foi conferido pelo voto; não importando aí, se pelo voto de seus ferrenhos eleitores; ou do voto dos contra-petistas; muito menos, se pelo voto do “inconformismo” com o status quo sistêmico em vigência. Não se pode é assistir de forma super passiva… quase já passando para a “normalidade”, relatos do teor das reuniões ministeriais dirigidas por aquele. Me deixa perplexo saber que mais de 39 pessoas, componentes da reunião ministerial do dia 22 de abril, próximo passado, foram “obrigadas” a ouvir palavras de “baixo calão” sendo dirigidas ao grupo, e naturalmente, aos berros, como é de seu costume, proferidas pelo Sr. Presidente, sem que ninguém tenha capacidade para reagir, na hora, e colocá-lo em seu devido lugar. Afinal, são cidadãos, dignos de respeito e honra, como todos nós o somos!. Inadmissível, no meu entender, o Sr. Vice-Presidente admitir em público: “…paciência, ele é assim mesmo…”. Não concordo! Ele pode falar o que bem entender, e do modo como sabe se expressar, lá dentro da casa dele.. o que também, é indigno, pois falta com o respeito aos que ali convivem, como seres humanos, cidadãos, compatriotas; aos quais todos nós, principalmente, ele – devemos respeito e honra! Não, não! Está errado, e tem que ser corrigida sua fala recente: “…quem não quer ouvir palavrão…não veja a fita…” (da citada reunião). Ele tem que se dar ao respeito, se quer ser respeitado! O cargo maior da nação brasileira, não lhe confere o “direito” de conduzir uma reunião ministerial do jeito que lhe aprouver! Respeito aos seus colaboradores, partícipes das reuniões ministeriais!!! Respeito à Nação brasileira, acima de tudo!!!