Governo deve prorrogar auxílio emergencial com duas parcelas de R$ 600

O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar nesta terça-feira (30) a prorrogação por mais dois meses do auxílio emergencial, pago a trabalhadores informais, desempregados e famílias de baixa renda. O valor deve se manter em R$ 600.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comentou nesta manhã sobre a cerimônia de prorrogação do benefício, mas evitou dar detalhes e disse que as informações serão anunciadas por Bolsonaro.

“Como a pandemia continua nos assombrando, vamos estender essa cobertura”, disse o ministro em videoconferência com deputados e senadores.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), disse ao Congresso em Foco Premium que a tendência é de manter o valor atual de R$ 600 com a duração de mais dois meses além do previsto.

Até semana passada, o governo avaliava estender o auxílio por três meses, mas com uma diminuição escalonada no valor (R$ 500, R$ 400 e R$ 300). A cerimônia de lançamento da prorrogação do auxílio está marcada para as 16h desta terça no Palácio do Planalto.

O projeto aprovado pelo Congresso permite ao Executivo prorrogar o auxílio, desde que com parcelas iguais às iniciais. Se o valor for menor que o da lei, é necessário o envio de nova proposta para ser analisada pelo Congresso.

A prorrogação com duas parcelas de R$ 600 era defendida pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que afirmou que qualquer diminuição no valor atual do benefício não passaria no Congresso. 

Operação prende sucessor de miliciano ligado a Flávio Bolsonaro e ao assassinato de Marielle

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!