Trump diz que se tivesse seguido Brasil teria 2 milhões de mortes por covid-19

O presidente norte-americano, Donald Trump, comparou as estratégias para o enfrentamento da pandemia de covid-19 tomadas pelo Brasil e os Estados Unidos (EUA). Ele estimou que, caso as medidas de isolamento social fossem flexibilizadas, "assim como no Brasil", o país poderia ter registrado o óbito de 2,5 milhões de pessoas pela doença.

> Navegue no painel da covid-19

Trump analisou que a decisão pelas medidas de quarentena nos EUA fez com que, pelo menos, dois milhões de vidas fossem salvas. O chefe do Executivo do país também mencionou que o Brasil segue modelo similar ao adotado pela Suécia, que enfrenta dificuldades durante a pandemia. "Se você olha para o Brasil, eles estão passando por um momento bem difícil. E, à propósito, eles continuam seguindo a Suécia. A Suécia também está passando por dificuldades terríveis. Se tivéssemos feito isso, teríamos perdido 1 milhão, 1,5 milhão, talvez, 2,5 milhões de vidas ou até mais ", afirmou.

O modelo inicial adotado pela Suécia de manter o funcionamento de restaurantes e algumas escolas, por exemplo, foi criticado pelo epidemiologista Anders Tegnell, que participou da elaboração dessas diretrizes sanitárias. O país europeu vive a evolução da doença e registra 42.939 diagnósticos confirmados e 4.639 óbitos pela doença, segundo a Universidade Johns Hopkins.

O Brasil é o terceiro país no mundo em número de mortes pela doença, após os Estados Unidos e Reino Unido. Conforme a atualização feita na noite de ontem (4) pelo Ministério da Saúde, o país atingiu 34.021 mortes e 614.941 pessoas diagnosticadas com a  doença.

As últimas notícias da pandemia de covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!