Exemplo de Bolsonaro, Suécia admite erro no combate à covid-19

O epidemiologista Anders Tegnell, que direcionou as estratégias tomadas pela Suécia para o enfrentamento da pandemia de coronavírus, disse que o país poderia ter tomado decisões diferentes para contar a disseminação do vírus. O modelo sueco é usado frequentemente como exemplo pelo presidente Jair Bolsonaro para defender o afrouxamento do isolamento social.

.> Navegue no painel da covid-19

"Se encontrássemos a mesma doença, sabendo o que sabemos hoje, acho que acabaríamos fazendo algo no meio entre o que a Suécia fez e o que o resto do mundo fez. Há potencial para melhorar o que fizemos na Suécia, é claro. E seria bom saber exatamente o que deveria ser fechado para impedir melhor a propagação da doença", afirmou Anders Tegnell em uma entrevista para a rádio sueca Sveriges.

O país optou por uma flexibilização do isolamento social e manteve, por exemplo, o funcionamento de cafés, restaurantes e algumas escolas. Nas últimas semanas, a Suécia registrou um avanço da doença na região. Ao todo, são 40.803 diagnósticos confirmados e 4.542 óbitos por covid-19, conforme dados atualizados nesta quarta-feira (3) pela plataforma de monitoramento da Universidade Johns Hopkins.

Por causa da escalada da doença, partidos políticos do país pediram a instalação de uma comissão (CPI) que investigue e analise as ações tomadas pelo governo para administrar e conter a crise provocada pela pandemia. As informações são da Rádio França Internacional.

> As últimas notícias da pandemia de covid-19

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!