Lira negocia cargo na Mesa Diretora para atrair DEM para o seu bloco

Aliados de Arthur Lira (PP-AL) no DEM tentam formalizar na próxima sexta-feira (29) a entrada do partido no bloco do candidato do PP à presidência da Câmara. Para isso acontecer é preciso que haja a assinatura de pelo menos 15 dos 29 deputados do DEM.

Há uma guerra de versões sobre o tamanho do apoio a Lira na legenda. Aliados do alagoano falam que há de 17 a 20 deputados com o líder do PP, já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), principal articulador da campanha de Baleia Rossi (MDB-SP), diz que há sete ou nove deputados que não vão votar no emedebista.

Antes de reunir assinaturas para entrar no bloco de Lira, os aliados do líder do PP tentam saber do presidente do DEM, ACM Neto, se vai haver algum tipo de punição para quem contrariar Maia e não apoiar Baleia.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

Um deputado do DEM que apoia Lira disse sob reserva ao Congresso em Foco que um dos motivos que pesam para que a ala do partido tente embarcar no bloco do líder do PP é que, ao fazer parte do bloco de Baleia, o DEM não teria direito a indicar um deputado para ocupar um cargo na mesa diretora. Por outro lado, dentro do bloco de Lira, o DEM ocuparia uma secretaria.

> Maia minimiza traições no DEM e diz que ACM Neto intervirá por Baleia

Câmara confirma PSL no bloco de Lira e deputado tem maior grupo

Por ter o maior o bloco, o grupo de partidos que apoiam Lira têm direito a mais cargos na mesa diretora e a função mais importante após a presidência da Casa.

"O Democratas no bloco do Baleia mal tem uma suplência na mesa porque não tem coeficiente o suficiente para fazer uma cadeira, sentar na mesa como secretaria. Já no bloco de Arthur Lira faríamos uma secretaria, um membro da mesa, com poder de voto e tudo, como agora o próprio Rodrigo Maia perdeu de quatro a três porque quatro dos sete membros da mesa estão com Arthur Lira", disse um deputado do DEM ao site.

Na segunda-feira (25), Arthur Lira visitou Salvador (BA), onde recebeu o apoio dos cinco deputados do DEM do estado (Arthur Maia, Elmar Nascimento, Igor Kannário, Leur Lomanto Júnior e Paulo Azi).

Na capital baiana, o candidato a presidente da Câmara também conversou com o presidente do DEM, ACM Neto. O dirigente partidário se mostrou aberto ao diálogo caso Lira vença a eleição marcada para segunda-feira (1º).

"Foi apenas uma visita de cortesia no escritório político de ACM Neto. Para distensionar e dizer que está pronto pro diálogo a partir de terça feira", disse o deputado Elmar Nascimento ao Congresso em Foco.

Elmar Nascimento é um dos votos que aliados de Baleia dão como perdido. Ele é ligado ao governo federal, que apoia a candidatura de Lira, e tem indicação na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco (Codevasf).

Deputados do DEM que apoiam Lira reclamam do processo de escolha que levou Maia a definir Baleia Rossi como candidato a presidente.

Há queixas de que a bancada do partido não foi consultada sobre a disputa na Câmara e que nomes do DEM que queriam concorrer, como Elmar Nascimento e Luis Miranda (DF), foram ignorados pelo presidente da Câmara.

Outro motivo alegado é a entrada de partidos de esquerda (PT, PSB, PDT, PCdoB e Rede) no bloco de Baleia. "Historicamente o Democratas sempre combateu politicamente a esquerda. Arthur dialogou com os deputados, apoia nossas bandeiras", disse um deputado do partido sob reserva na semana passada.

PSDB e PDT

Os deputados baianos Alex Santana (PDT) e Adolfo Vianna (PSDB), ambos de partidos que estão  com Baleia Rossi (MDB-SP), também declararam apoio ao alagoano.

Dentro do PDT também há outras dissidências, como o deputado Gil Cultrim (PDT-MA), que tenta sair do partido desde 2019 após ter votado pela reforma da Previdência. O deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) acompanhou Lira durante viagem a Minas Gerais na semana passada.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, minimizou o apoio de Cultrim e disse que Santana e Gonzaga vão apoiar o presidente do MDB. "Gil Cutrim faz tempo está na Justiça os outros dois votam com Baleia", disse ao Congresso em Foco.

Já no PSDB, defensores de Lira dizem ter um pouco menos de 20 dos 33 deputados. Apesar disso, tanto tucanos que apoiam Lira quanto os que estão com Baleia descartam que o partido vai entrar no bloco do líder do PP. "Acho que não tem tempo e eles estão apoiando 'meio escondido' Inclusive o líder [Rodrigo de Castro]", disse uma fonte do PSDB na Câmara ao site.

O deputado Celso Sabino (PSDB-PA),  principal articulador da campanha de Lira na legenda, também descartou trazer o partido  oficialmente para o grupo do alagoano. "Não estou fazendo lista. Estou ocupado na organização da campanha".

 

 

Continuar lendo