Tribunal mantém condenação de Lula a 17 anos de prisão no caso do sítio de Atibaia

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal  da 4ª região negou recurso e confirmou a condenação do ex-presidente Lula a 17 anos de prisão no caso do sítio de Atibaia (SP). O julgamento foi realizado em sessão virtual nesta quarta-feira (6).

Ontem (5) a defesa do petista encaminhou um recurso solicitando a suspensão do julgamento devido às declarações recentes do ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O pedido, no entanto, foi rejeitado.

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país

No documento, a equipe de advogados alega que o julgamento do ex-presidente deve seguir curso após as acusações feitas pelo ex-juiz ao presidente da República, Jair Bolsonaro, na última semana, serem investigadas . De acordo com a defesa, esses são novos fatos que precisam ser considerados pelo Tribunal. "As pretensões políticas do ex-juiz Sergio Moro não se afloraram repentinamente apenas após o pleito eleitoral de 2018. Ao revés, têm elas origem anterior, como sempre afirmou esta Defesa com base em diversos elementos", afirma trecho do requerimento.

A defesa também justificou o pedido de adiamento, considerando que o julgamento deve ser feito presencialmente e com a presença dos advogados.

> As últimas notícias da pandemia de covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!