Após ataques de Carlos Bolsonaro, PSD defende Maia de “mal disfarçados manipuladores das mídias sociais”

Formada por 36 deputados, a bancada do PSD na Câmara aprovou na manhã deste sábado (23) uma nota de repúdio aos ataques desferidos, nas redes sociais, contra o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para o partido, as ações são movidas por "interesses não confessáveis e agentes manipulados" com o objetivo de "amesquinhar" o debate democrático contra "uma figura essencial em momento tão delicado da vida nacional".

Irritado com ataques nas redes, inclusive do vereador carioca Carlos (PSC), um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, e a inabilidade do governo para constituir uma base parlamentar, Maia já avisou que não será mais o articulador da aprovação da reforma da Previdência. Segundo a bancada do PSD, os "ataques gratuitos" contra o presidente da Câmara buscam "erodir" o Legislativo. A bancada considera que, se hoje agridem a pessoa do presidente da Câmara, amanhã atacarão as instituições.

Chamado de seu "pitbull" por Bolsonaro, Carlos questionou o interesse de Maia em combater a criminalidade depois das palavras duras dirigidas por ele ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que lhe cobrou celeridade na tramitação do pacote anticrime. Em tom provocativo, perguntou a seus seguidores, no Instagram, por que o deputado "anda tão irritado". A publicação foi feita no mesmo dia da prisão do ex-presidente Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco, padrasto da esposa de Maia. O presidente da Câmara tem sido alvo de ofensiva de bolsonaristas nas redes sociais.

Desde então o deputado elevou o tom contra o governo. Em entrevistas publicadas neste sábado, ele disse que o Planalto trabalhou contra sua reeleição à presidência da Câmara, que Bolsonaro "sempre foi contra a reforma da Previdência" e que, tirando o ministro da Economia, Paulo Guedes, a atual gestão é um "deserto de ideias". Ontem outro filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), tentaram acalmar Maia, ressaltando sua importância para a aprovação da reforma.

Veja a íntegra da nota do PSD:

Publicação de Carlos no Instagram foi considerada uma provocação por Maia

"A Bancada do Partido Social Democrático (PSD) vem a público expressar seu veemente repúdio aos ataques desferidos nas mídias sociais contra a pessoa do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia.

Tais ataques, movidos por interesses não confessáveis e agentes manipulados, tentam amesquinhar o debate democrático com afrontas assacadas contra um líder cujo protagonismo político e espírito republicano o situam como figura essencial em momento tão delicado da vida nacional.

Como presidente da Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Maia honra o Poder Legislativo brasileiro ao desincumbir-se, com altivez e o espírito público, das altas atribuições que a Constituição lhe confere, além de empenhar, com inatacável senso patriótico, sua liderança pessoal e sua representatividade institucional em defesa das causas que mobilizam a sociedade nacional.

Para a bancada do PSD na Câmara dos Deputados, os ataques gratuitos à pessoa do presidente Rodrigo Maia, além de agredir covardemente a sua dignidade pessoal e política, buscam erodir, sobretudo, o Poder Legislativo, esteio do regime democrático e fundamento da República.

A nossa pronta e contundente repulsa a esses ataques é, também, um alerta contra os maléficos desígnios dos que hoje agridem reputações e amanhã, se permitirmos, avançarão contra as instituições.

A Verdade, a Nação e a Democracia, que o Presidente Rodrigo Maia defende com tanta retidão e pertinácia, são maiores que os mal disfarçados manipuladores das mídias sociais.

Bancada do PSD na Câmara"

>> Maia cobra respeito de Moro após mensagem de madrugada por tramitação de projeto anticrime

>> Prisão de Temer deve dificultar aprovação da reforma da Previdência. Veja outros desdobramentos possíveis do fato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!