Moro confraterniza com Aécio, e irrita oposição

Em cerimônia de premiação realizada pela revista Istoé, Sérgio Moro e Aécio Neves batem papo descontraidamente. O juiz foi eleito o "Brasileiro do Ano na Justiça".

O flagrante de um momento de descontração entre o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o juiz Sérgio Moro, em uma festa de premiação da revista IstoÉ, nessa terça-feira (6), em São Paulo, irritou petistas e aliados.

Alvo de dois inquéritos abertos no Supremo Tribunal Federal (STF) com base em delações da Lava Jato, Aécio trocou gargalhadas com o magistrado que preside os processos da operação na Justiça Federal. À frente deles, com expressão fechada, estava o presidente Michel Temer, premiado como “O brasileiro do ano” pela revista.

“Um prêmio motivador para que nós salvemos o país”, disse o presidente. Moro foi condecorado como o "Brasileiro do Ano na Justiça".

Presidente nacional do PSDB, Aécio foi citado por pelo menos cinco delatores na Lava Jato como beneficiário do esquema de corrupção: o doleiro Alberto Youssef e seu colaborador Carlos Alexandre de Souza Rocha, o ex-deputado Pedro Corrêa,  o ex-senador Delcídio do Amaral e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Machado relatou, em delação premiada, que participou da captação de recursos ilícitos para bancar a eleição do hoje senador Aécio à presidência da Câmara em 2001. O tucano é também investigado em dois inquéritos abertos a partir da delação de Delcídio. O primeiro caso trata da suspeita de que o presidente do PSDB recebeu propina de Furnas e outro quer avaliar a suspeita de maquiagem de dados do Banco Rural para esconder o mensalão mineiro. O senador do PSDB nega as irregularidades.
Na festa, estavam outros políticos sob suspeita de participação no maior esquema de corrupção já descoberto no país, como José Serra (das Relações Exteriores) e Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, do PSD). Assim como Aécio, eles não estão na alçada de Moro, mas do Supremo Tribunal Federal, devido ao foro privilegiado.

O líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), que também responde a inquérito da Lava Jato no Supremo, postou a foto em sua página no Facebook em tom provocativo: “QUAL A MELHOR LEGENDA PARA ESTA FOTO? Aconteceu há pouco o prêmio Isto É, concedido pela ‘revista’ para as personalidades que se destacaram no ano de 2016 - segundo os critérios da mesma. Entre os premiados, Moro, Dória e TEMER, eleito a personalidade do ano. Pior que o prêmio, no entanto, é a foto: do que riem tanto o ‘justiceiro’ alçado a ‘herói nacional’ e o candidato derrotado em 2014 - e recordista em citações na investigação comandada pelo primeiro? Resolvemos dar asas à imaginação de vocês: postem a legenda mais adequada nos comentários...”
A líder da oposição na Câmara, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), também comentou a foto nas redes sociais: “Olhem esta foto na entrega do prêmio Isto É. Será que explica porque não tem tucano preso, apesar das delações?”.
Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!