Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

Todas as postagens de Pedro Valls Feu Rosa

Educar é investir no futuro

Desembargador questiona uso de dinheiro público para pesquisas sobre o processo de defecação dos pinguins e sobre as preferências das galinhas por pessoas bonitas: “Não se pensa em dinheiro”

Continue lendo...

Os heróis de desenho animado na vida real

“Era uma vez um grupo de elite: o homem-sonar, o calculadora, o avestruz, o dentadura, o ímã e muitos outros – até um encantador de leões uniu-se ao grupo. Parece coisa de desenho animado, né? Mas só parece”

O leão não é manso

A cobrança de tributos pelo planeta afora prova a exatidão das palavras de Franklin: “nada certo é tão certo neste mundo quanto a morte e os impostos”

Quem tem dia está no sal

“Esta expressão, crua e seca, mas verdadeira, nos alerta para o fato de que estes não são dias de homenagem. Não admitem festa. Não permitem comemorações. Eles apenas existem para marcar uma luta.”

A vida da manada é difícil

“Inspirado pela vida nas selvas, fico a pensar se não deveríamos ter os olhos ao lado das orelhas”, diz desembargador. “Os olhos dos animais mansos ficam na lateral da cabeça – posição que torna mais fácil controlar o ambiente ao redor”

Quem assusta amigo é

Sobre placas espalhadas pelo mundo, colunista entende que elas “traduzem, ainda que de forma canhestra, o inconformismo com a impunidade, a insegurança e a perda daquela cidadania mais básica”

Uma homenagem a Youcef Nadarkhani

Como dizia Blaise Pascal, nunca o ser humano pratica o mal tão completamente e com tanto prazer como quando o faz por convicção religiosa, escreve Pedro Valls, ao citar casos de barbaridade humana cometidos em nome de crenças religiosas mundo afora

O atestado de residência

“O fato é que não importa o quão pobre ou rico seja um brasileiro – a hora de exibir, trêmulo e inseguro, o seu “atestado de residência” chegará. Isto é tão certo como a morte ou um recadastramento”

Por onde anda a Cortina de Ferro?

Após percorrer um aeroporto, colunista lembrou da expressão de Winston Churchill e concluiu: “Qualquer civilização que abandonar seus valores mais sagrados para combater seja lá o que for somente encontrará a derrota”

As crianças e a força do exemplo

Jogos cujo objetivo é estuprar o maior número de mulheres, matar policiais ou atropelar pedestres mostram uma humanidade mesquinha, que não se importa em ganhar dinheiro às custas do escárnio e da dor de famílias que perderam entes queridos pelas ruas, diz desembargador

Videogames, as crianças e a força do exemplo

“Fui aconselhado por um conhecido a não publicar estas linhas, pois elas seriam “politicamente incorretas” sob o prisma do sagrado direito de expressão. Então eu me confesso, aqui, um ser politicamente incorreto”

Os zoológicos e os animais presos

Nos jardins onde os animais ficam, a legislação é cumprida e cada vez mais as jaulas estão humanizadas, diz colunista. No entanto, a humanidade passa longe dos presídios brasileiros

Deu a louca nas prisões e na humanidade

Colunista faz uma ronda por prisões mundo afora: “Lembrei-me de um profundo pensamento de Dostoyevski: ‘O grau de civilização de uma sociedade pode ser julgado ao se entrar em suas prisões’”

As reformas que não mudam nada

“Ainda hoje nossas elites, ao discutirem sobre qualquer modernização das leis, quase sempre ignoram a opinião pública e acabam importando da Europa ou dos Estados Unidos da América modelos lá adotados”

O navio Lombardia e o mosquito da dengue

Das descobertas de Oswaldo Cruz até hoje, mais de um século se passou. E, por insuficiência de políticas públicas e saneamento básico, o país ainda conta número assustador de mortes que poderiam ser evitadas

A mente criminosa é mesmo um mistério

Colunista se diz chocado com a falta de tratamento adequado, por parte de governos, à população carcerária que sofre de distúrbios psiquiátricos. “Diante destes casos, dá para perceber o quão complexa e delicada é a mente humana”

Sociedade e desenvolvimento

Corrupção, incompetência, falta de saúde e saneamento básico… os problemas brasileiros são muitos, mas a passividade dos brasileiros é maior, pensa desembargador

A incrível vida matrimonial de Bello Maasaba

Considerados os parentes próximos de suas esposas, Bello Maasaba tem uma família próxima de 5.000 membros. Mas fiquemos somente com as esposas e os filhos, que, surpreendentemente, convivem pacificamente sob um mesmo teto

Pedro Valls: nem sempre quem avisa amigo é

A partir da advertência colada em um eletrodoméstico defeituoso, Pedro Valls lista uma série de recomendações nonsense dos fabricantes. Do gelo que “pode estar frio” ao catchup a ser colocado na comida

Deu a louca na democracia

Diante de um mundo que ainda tem tanto por evoluir, talvez devêssemos olhar para as nossas tão achincalhadas instituições tupiniquins com um pouco mais de carinho e esperança, diz desembargador, ao citar diversos casos de candidatos bizarros mundo afora

Globalização para brasileiro ver

“É mentira — e das grossas — a ideia de que ‘os Estados Unidos importam muito da China’. Mas os importados chegam a representar 22,7% de tudo o que foi consumido no Brasil”

Um bom exemplo que vem de fora

Enquanto o Brasil insiste nos transportes aéreo e rodoviário, Inglaterra incentiva uso de trens de alta velocidade em viagens domésticas por causa de seus benefícios ambientais

Ensinar é difícil pra cachorro

Nos Estados Unidos e no Reino Unido, cachorros são utilizados em sala de aula com o objetivo de ensinar comportamento humano às crianças, observa o desembargador Pedro Valls Feu Rosa

O absurdo é a evidência de um fato

“Nem os mortos escapam da sanha formalista, burocrática e cartorial que infelicita o Brasil há mais de cinco séculos – aliás, o Brasil e até o além”, escreve desembargador

Publicidade Publicidade