Congresso em Foco

"É preciso cuidado ao apontar a educação como solução mágica para os problemas com notícias falsas, responsabilizando apenas os indivíduos que a disseminam e ignorando características centrais do sistema de mídia brasileiro", destaca pesquisadora

Combate à desinformação deve ir além da responsabilização dos indivíduos

21.09.2018 15:48 8
Atualizado em 06.12.2018 11:51

Publicidade

8 respostas para “Combate à desinformação deve ir além da responsabilização dos indivíduos”

  1. Grilo Dúvida disse:

    Certamente, o combate à desinformação não se “restringe a uma questão de melhorias na educação”. Felizmente, não vi até hoje alguém resumir desta forma. O artigo acerta em cheio na necessidade de analisar os vários fatores que levam à desinformação, mas peca ao sugerir que o debate esteja resumido a um ponto só. Está tudo na mesa – só precisamos participar.

    • Fábio disse:

      Tem razão. O texto parte da premissa ingênua de que todas as pessoas bem educadas são bem intencionadas, o que está longe de ser verdade. Veja o caso de nossos acadêmicos esquerdistas, por exemplo, capazes de dizer todo tipo de mentira e distorção para levar o PT ao poder.

      • Grilo Dúvida disse:

        É necessário cuidado para não cair em outra premissa ingênua, de que mentira e distorção seja coisa de esquerdista. Desonestidade, infelizmente, é parte do jogo de poder. Pesquise também sobre a enxurrada de notícias falsas e distorcidas de fontes direitistas, e os perfis falsos criados pra isto. É de cair o queixo e perder a esperança no país, mas pelo menos quebra a visão enviesada de que a desonestidade tem dono.

  2. Fábio disse:

    Essa história de fake news foi um pretexto inventado pela esquerda americana para calar os apoiadores de Trump. Não adiantou nada e a estatista e abortista Hillary tomou uma surra.
    No Brasil tentaram propagar isso e não adiantou nada também. O foicebook usou desse pretexto para calar várias páginas direitistas autoritariamente, mas foi inútil também, afinal as mentiras da esquerda circulam online de uma forma ou de outra e o establishment está nu.
    Fake news é uma canalhice de inimigos da liberdade de expressão. Se alguém disser uma mentira, basta utilizar os meios já existentes para haver responsabilização, na seara cível e criminal. Isso de montar grupos de patrulheiros ideológicos para calar opositores nas redes sociais, a pretexto das fake news, foi uma tentativa desesperada da esquerda que não funcionou.

  3. Walldemar Sobrinho disse:

    Os maiores fabricantes de fake news são exatamente os ditos jornalistas renomados, encastelados nas editorias dos grandes conglomerados de mídia, regados a bilhões de reais em verbas públicas. A preocupação da mídia é a manutenção do monopólio da mentira e difamação, nada além disso. O compromisso passa longe de ser informar a verdade.

  4. 13582196 disse:

    Ainda bem que na imagem de ilustração, a placa de fake news está apontando para a esquerda, enquanto o de fatos estão apontando para a direita! kkkkk

    No mais, a esquerda é quem mais está sendo manipulada por empresários e investidores inescrupulosos como o Jorge Paulo Lemann e o Soros, por terroristas, por traficantes e outros criminosos se passando por justiceiros sociais na internet!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via