Congresso em Foco

[fotografo] José Cruz/Agência Brasil [/fotografo]

Taxação de grandes fortunas já pode ir a Plenário, mas tem pouco apoio na Câmara

16.04.2020 15:44 70

70 respostas para “Taxação de grandes fortunas já pode ir a Plenário, mas tem pouco apoio na Câmara”

  1. Ricardo disse:

    Vai acontecer aqui o que aconteceu na França. Muitos ricos se transferiram para a Bélgica.
    Aqui ao lado temos o Paraguai, que não persegue os bem sucedidos, ao contrário, lhes dá abrigo, cidadania, lhes permite sediarem suas empresas, prestigia empreendedores brasileiros, enquanto aqui são constantemente incomodados pelos órgãos públicos cheios de esquerdistas e pelas patrulhas ideológicas movidas pela inveja.

    • Gustavo Rodrigues disse:

      Vc só esqueceu de comentar que o poder econômico da França continua maior que o da Bélgica, e sabe pq?, pq ´para além de cobrar essa taxa, o país oferece mais qualidade em pesquisas e educação, economia, desenvolvimento de tecnologias, etc. Sai um rico, entra outro no lugar. Tem que taxar, sim.

    • Stephan Schellmann disse:

      Caro Ricardo, bom dia!
      Fineza notar que no mundo todo, existe taxação sobre a renda, sobretudo, nos países que o senhor mencionou, cabendo salientar que a tributação é bem elevada! Lamentavelmente, como eu comentei abaixo, a quase totalidade dos bilionários tupiniquins (Lehman, Safra, Marinho, Setúbal, Sales, etc.) atingiu tais patamares por terem uma legislação totalmente criminosa à favor deles (feita por eles e para eles), que os isentam de pagar, sobretudo, o imposto de renda (que é devido em qualquer ordenamento jurídico mundial!!!) e, com isso, aumentando o abismo social, aumentando suas fortunas sem esforço algum! Independente de qualquer posicionamento político-partidário, é injusto tal fato de o trabalhador que recebe rendimentos ofensivos ter que pagar uma carga tributária imensa ao passo que, meia dúzia de criminosos travestidos de financistas recebam BILHÕES e nada paguem!!! Aqui a lei 9.250/95, promulgada no governo FHC (que é economista e sociólogo e sabia muitoooooo bem a imensa m*rda que isso ia dar) autorizou os bilionários a ficarem ainda mais bilionários, causando este imenso desiquilíbrio social atual, pois a bomba só explode vinte anos depois! Nada tenho contra o bem-estar, afinal, todos o desejamos, mas quando uma pessoa recebe 5.000 e tem que pagar 27,5% de imposto de renda e outro recebe 10.000.000 e nada paga, temos ai a maior injustiça de todas! Quanto ao Paraguai e outros paraísos fiscais mundo afora, observe e analise bem, pois todos eles estão na mesma m*rda de sempre, ou seja, de nada adianta pois tudo também só vai pra mão de meia dúzia de canalhas. Lamentavelmente, enquanto não houver tributação justa e adequada nada mudará, como exemplo temos o projeto que busca taxar apenas 1% da fortuna destes canalhas e mesmo assim, eles não querem!!! Não permitem sequer abrir mão de 1% de tudo que roubaram dos cidadãos com juros escorchantes (isso vale aos banqueiros do Safra, Itaú, Bradesco, etc. e pro homem sorriso com seu criminoso esquema de tele-sena). Triste o país que valoriza o capital especulativo em detrimento do capital produtivo!
      Finalizando, tenho respeito por sua opinião, mas o ponto que devemos ter é que todos temos que pagar tributos, de acordo com o princípio da capacidade contributiva da CF/88. Tenha um bom dia!

      • Ricardo disse:

        Muito educada a sua resposta. Apesar disso digo que não concordo com a maioria dos seus argumentos. Eles pagam imposto de renda, sim, não tanto quanto poderiam pagar, as alíquotas poderiam ser maiores para os de renda mais elevada. Isso depende de uma nova ordenação tributária. Talvez você ainda não tivesse nascido em 1988 mas naquele ano, da promulgação da atual Constituição, dizia-se que a próxima grande reforma seria a do Código Tributário. Vários governos depois ainda não o temos. FHC, esse que vc acusa de conspirar contra os pobres, dizia que o PT (inclua-se ai seus satélites) não deixaria passar, Para o PT, quanto pior, melhor, e isto não é novidade. Ao lulo-petismo não interessava um novo Cod.Tributário, pois ao populismo, tanto faz se de direita ou de esquerda, interessa haver pobres para se lhes dar a sensação de conforto com políticas públicas que os satisfazem mas os mantém dependentes. Acredito em oportunismo político mas não em conspirações.

        Os pobres no Brasil pagam muitos impostos no consumo e suas alíquotas de IR são inferiores aos 27,5% que vc falou. Os ricos pagam 27,5% e esta alíquota poderia ser maior. Os proprietários rurais poderiam pagar mais, eu sei como mas não vou lhe contar, só que não resolveria nosso déficit fiscal. Quanto ao patrimônio, não há mais que 8 trilhões de reais no patrimônio de brasileiros, entre ricos e pobres, mas supondo que fossem os muito ricos detenham 3 trilhões, taxar 1% ao ano daria uma arrecadação de 30 bilhões a mais por ano, insuficiente para cobrir um déficit fiscal de 180bilhões e este imposto, sim, afugentaria os capitais.
        Só resta uma saída amigão: 1) proponha aos pobres que façam menos filhos pobres, para que o esforço dos pagantes possa a estes retornar, e 2) pague os seus impostos.

        • Name disse:

          “Só resta uma saída amigão: 1) proponha aos pobres que façam menos filhos pobres, para que o esforço dos pagantes possa a estes retornar, e 2) pague os seus impostos.”. Concordo plenamente e faço minhas estas suas palavras.

  2. George Maia disse:

    Jogada malandra. Quando o presidente da Câmara tem interesse na aprovação de uma matéria, ele escolhe a hora certa de levá-la em votação na qual a maioria dos deputados já está a favor do tema. Agora, já põe em votação sabendo da derrota só para arquivar a proposta e encerrar o assunto.

  3. Stephan Schellmann disse:

    O que se pode esperar quando o presidente do Banco Central e o ministro da economia são banqueiros e estão à serviço do sistema financeiro mundial? Espera-se o óbvio, é claro, ou seja, que estes sirvam aos seus senhores, afinal, estes é que mandam colocá-los nestes cargos! Ter banqueiros nos cargos chave da economia é o mesmo que ter pervertidos sexuais trabalhando em creches ou raposas cuidando do galinheiro! Está mais que claro que tais pessoas servem à uma casta/elite financeira e jamais ao povo. Afinal, isto é uma democracia ou plutocracia (ou ainda cleptocracia)? Por que não temos economistas de verdade, isentos, imparciais nestes cargos? Nada muda…

  4. Aline Fantinelli disse:

    Taxar trabalhador assalariado e pobre é tranquilo. Taxar milionários, aí não dá. Eles vão ficar extremamente aborrecidos. Vai reduzir o caviar, os importados da mesa. Que tristeza. Brasil, o país onde pobre e trabalhador só se ferra e os ricos só se dão bem. Artistas, jogadores de futebol, clubes, igrejas… tudo isento de impostos. Trabalhador que ganha acima de R$ 1903,98 é classe média, paga imposto de renda (baita renda esse salário). Auxílio moradia dos juízes é maior que isso e isento de imposto. Nosso país é ridículo

    • André Dias disse:

      Tremendo de uma palhacada , o presidente a promessa de campanha dele foi pro ralo, sobre o IR, daqui uns tempo quem ganha salário minino vai pgar IR, só aqui no Brasil, enquanto países desenvolvido cobra imposto sobre a renda de cada cidadão.

  5. Moringa disse:

    Essa utopia seria maravilhosa no Brasil… Poderiam começar cobrando impostos sobre jatinho, barcos em geral e helicóptero, ao estilo do IPVA.. já era um bom começo

  6. Gilberto Castro de Souza disse:

    Se fosse para taxar os mais pobres,já estaria aprovada há muito tempo

    • Aline Fantinelli disse:

      Já somos taxados a muito tempo. E se continuar sem corrigir a tabela de imposto de renda, salário mínimo vai ter desconto de IR. Se duvidar, até bolsa família vai levar mordida do leão

    • Flavio Garcia disse:

      A do pobre já saiu, a previdência foi feita em cima dos pobres… só no nosso lombo.

  7. Nelson disse:

    Aí sim vamos ver o PAÍS IR PRO BURACO. Os ricos vao embora, os empregos tambem, e vamos ficar eu e voces, os duros.

  8. silas disse:

    Concordo plenamente e, aliás demorou ” muito pouco pra ter algum parlamentar pra enviar um projeto de lei que taxe as grandes fortunas já que essa previsão constitucional prevista na CF promulgada em 1988 ATÉ HOJE NÃO TEVE UMA LEI ORDINÁRIA QUE ESCLARECESSE O QUE VEM A SER GRANDES FORTUNAS. Essa lei infra constitucional, que ainda não elaboraram é a chave pra se votar esse projeto pena de ARQUIVAREM POR NÃO HAVER LEI ORDINÁRIA QUE TIPIFIQUE A PREVISÃO CONSTITUCIONAL. Grande fortunas detém pouquíssimas pessoas que não nominarei.

  9. Ricardo Cubas disse:

    Por que a Câmara não aprova o abate-teto sobre os supersalários públicos? Ou seja, o PL 6726/2016, já aprovado pelo Senado?

    • Flavio Garcia disse:

      podem até aprovar, mas não se compara os impactos de cada proposta, enquanto uma geraria cerca de 100 bilhões ano (taxar grandes fortunas), outra não passaria de 1 bilhão.

      • Ricardo Cubas disse:

        E quem disse que eu estou excluindo o imposto sobre grandes fortunas? O Abate-Teto quando aplicado nas três esferas de governos dos três poderes gera uma economia de 10 bilhões ao ano.

  10. Paulo Eduardo Simioni disse:

    Se passar a Lei tem que valer para os grandes devedores, por exemplo o governo, primeiro pague o que deve para os ricos e depois venha cobrar…..

    • Marcus666 disse:

      Estou curioso, o que o Governo está devendo para os ricos? Que dívida é essa?

    • Vanilse Jesus disse:

      Especifica aí qual é, e ou quais são essas dividas , hem cara pálida?

      • Paulo Eduardo Simioni disse:

        o idiota de pai e mãe, vá até o STF e veja a quantidade de processos transitados e julgados nas instâncias inferiores e que estão pendentes de julgamento, exemplo: Correção integral do FGTS, Poupança, Correção da tabela do IR, direitos creditórios que estão pendentes de pagamento há mais de 40 anos, etc…. se acha que é pouco pague do bolso.

  11. Name disse:

    Espero que não passe. Ser rico não é crime. Bom, tal estupidez só podia ter vindo da cabeça de criaturas do Psol. Todo mundo quer ser rico. Alguns fazem por merecer, outros ganham na loteria, outros herdam, outros roubam, e tem aqueles que são ricos, mas pregam o socialismo para o povo e capitalismo para eles, como é o caso destes do Psol. Claro que tem aqueles que são pobres, querem ser ricos, mas enquanto não conseguem, passam a vida criminalizando a riqueza alheia.

    • Carlos Solrac disse:

      Todos os países do mundo tem taxação das grandes fortunas, fica defendendo bilionário sem ser. Deixam a fortuna parada quando poderia ser usada em áreas sociais. É assim que funciona o verdadeiro capitalismo. Se informe melhor. Que paguem sim imposto sobre ela.
      E como são todos simpatizantes do EUA para os desinformados lá é 30% a taxação só para lembrar. E grandes fortunas são os bilionários. Por isso que o Brasil não vai para frente a classe média defende o bilionário achando que que um dia vai ficar rico e não vai é um 1 em 10 milhões. Devemos ter uns 20 a 30 bilionários no país. O problema maior é que o rico vira deputado e vota contra a classe média no congresso como vem acontecendo e a classe média acha bom. E o PSOL não aprende e fica defendendo a classe média.

      • Name disse:

        Eu não preciso ser bilionário para defender o direito de ser um bilionário. me informar melhor? Por que? Eu não estou falando das leis de outros países. Estou questionando a taxação de fortunas como se fosse um delito ser rico. “Por isso que o Brasil não vai para frente a classe média defende o bilionário achando que que um dia vai ficar rico e não vai é um 1 em 10 milhões.”. Pensamentos generalistas eu nem respondo. Outro ponto que percebi em seu comentário: Você diz que a classe média defende o bilionário. Termina dizendo que Psol defende a classe média. Ora, se o Psol quer taxação sobre os bilionários, ela não defende os bilionários e consequentemente a classe média. Tem uma incoerência aí!!!! Dica: Para que o leitor entenda errado o que você escreve, dê mais atenção à pontuação.

        • Gustavo Rodrigues disse:

          Todos os países com políticas sérias do mundo estão errados, só vc tá certo! Se não for rico, é cúmplice de oportunistas. Sempre a mesma saída pela tangente com insinuações de que cada país tem suas peculiaridades e etc. Cinismo puro.

          • Name disse:

            “Todos os países com políticas sérias do mundo estão errados, só vc tá certo”. Este é um dos argumentos mais imbecis que circula pela internet. Dignos de filosofia de boteco. E você demonstra, com tais palavras, que és medíocre intelectualmente, pois usa como justificativa os exemplos de outros; e usa tais exemplos para parar de pensar, questionar e se conformar. Síndrome de massa de manobra.// Eu sou cúmplice de oportunistas? Quem disse? Você!!! E o início do seu desastrado comentário lhe desqualifica para juíz de minha pessoa. E o senhor termina sua pérola de lavagem cerebral com a já conhecida ridicularização do alheio como tentativa de depreciar a outra pessoa com que discute. Se pra você, todos os países são iguais, o senhor é um ignorante. E fecha com chave ouro me chamando de cínico. Ou o senhor não sabe o que significa cinismo ou me acusa daquilo que você faz.

    • Paulo Siqueira disse:

      É na verdade um princípio do liberalismo clássico, não dessa versão tosca chamada neo-liberalismo. A questão posta é que nenhuma geração pode se beneficiar das riquezas conquistadas pela anterior, o tal princípio tão distorcido da meritocracia. Os impostos sobre doação e heranças em países centrais ao capitalismo são altíssimos. No Brasil há estados que cobram 8%, mas em SP, Rio e MG, se cobra 4%. É inacreditável que a herança pague menos imposto do que o trabalho

      • Name disse:

        Seguindo este raciocínio, seu eu recebi uma herança, eu devo pagar mais imposto porque não veio do meu trabalho? Mas veio do trabalho de alguém. E que culpa tenho eu de ter recebido uma herança? Qual o problema nisso? Pra começo de conversa, eu considero um absurdo o Estado se apoderar de parte do fruto do meu trabalho.

        • Flavio Garcia disse:

          O Problema é que o estado existe exatamente para mitigar o sofrimento dos mais vuneráveis. Nos EUA, o exemplo dos nossos Neo-liberais, essa taxação é de 25% à 40%.

          • Name disse:

            Se o Estado mitiga o sofrimento dos mais vulneráveis, que tenhamos menos Estado.

          • André Dias disse:

            Mesmo em paises com menos estado tem taxação de grandes fortunas, so que em partes voce tem razão, teria que fazer um reforma politica pra cortar gastos desnecessarios pra cobrir a divida publica , pra depois fazer um reforma tributaria mais enxuta, ai ficaria melhor daria pra diminuir os impostos sobre bens de consumo e imposto nocivo, ai sim dava pra cobrar imposto sobre a renda de pessoas ricas, ficaria mais justo.

          • Ricardo disse:

            Nos EUA é entre 25 e 40%? É mesmo? Só que assim mesmo a desigualdade aumenta nos EUA, e, importante: para de pensar que o estado tem que se responsabilizar para mitigar o sofrimento, isso tem que ter limites.
            O pobre tem q

          • Ricardo disse:

            …continuando, o pobre tem que parar de fazer filhos pobres. Não há possibilidade de se atenuar as carências dos pobres se a taxa de crescimento da população pobre é maior que a taxa de crescimento do PIB e da renda média das famílias que ganham renda para pagar impostos. (aliás, pagador de impostos é uma raça em franca extinção)

        • cristian disse:

          Se você se considera um liberal deveria saber que sim, na visão original toda receita recebida que não for do próprio trabalho deve ser altamente taxada, pois vai de encontro com a filosofia da meritocracia, se você não trabalhou não tem direito. Aposto que você não acha um absurdo ter asfalto na sua rua, saneamento básico, iluminação, e quando precisar de atendimento que seu plano médico não cobre vai se tratar onde? nos EUA?…esses liberais de boteco são engraçados…

          • Name disse:

            Eu não me considero nada. Tenho uma opinião que não se baseia em rótulos. Quanto à sua aposta e final de seu comentário, não responderei por não se tratar de argumento, mas apenas um devaneio baseado em sua própria forma de pensar.

          • Gustavo Rodrigues disse:

            Sua opinião não altera os fatos. Por isso que vc vive numa república das bananas, pq pensa como um mico.

          • Name disse:

            Minha opinião não altera os fatos? Claro que não. E eu nem disse isso. Não faço nem idéia da razão que te fez dizer isso. Deve ser a falta de argumentos. Bom, o final de seu comentário, com exemplo de complexo de vira lata, já deixa bem claro teu nível intelectual. O senhor aceita tudo sem questionar, sem exercitar o poder de raciocínio e argumentação e o sou eu quem pensa como um mico? Bom, pelo menos eu penso. Já o senhor…

          • cristian disse:

            É um argumento sim já que as benfeitorias feitas pelo Estado tem um custo, se são bem empregadas no Brasil ou não é outro caso. Com relação a herança é contraditória sua posição, se você não conquistou não é seu, não basta você ter sido beneficiado a vida toda por um padrão familiar que tantas pessoas não tem, ainda quer levar a bolada e não dividir com ninguém?…

          • Name disse:

            Não. Não é argumento. As benfeitorias são custeadas por vários outros impostos. Ou pelo menos deveria ser. Se você viu uma contradição na minha opinião sobre a herança, te faço a seguinte pergunta: Se você recebesse uma herança, que culpa você teria? Você pediu pra nascer? Você escolheu de quê família queria nascer? Fica o questionamento.

          • cristian disse:

            Ninguém tem culpa de nascer onde nasceu, o que não quer dizer que o ser humano não possa fazer nada a respeito disso, é uma questão muito mais moral que econômica e se fosse só econômica uma sociedade mais equilibrada produziria muito mais milionários do que bilionários (menos concentração de capital) e todos ganharam com isso.

          • Name disse:

            Entendi. Porém não vejo objetividade no seu comentário.

          • cristian disse:

            Combater a concentração de renda excessiva e tentar tornar a meritocracia mais possível no mundo de hoje distribuindo melhor a riqueza produzida.

          • Name disse:

            Distribuindo melhor a riqueza? E você crê que políticos irão distribuir ao povo?

        • Gustavo Rodrigues disse:

          O problema é que seu país não te dá condições de crescer por conta própria. Entendo sua indignação, por isso são coisas a serem cobradas juntas. Taxação sobre lucros e dividendos, grandes fortunas, heranças, imposto de renda progressivo mas, tb, condições de vida dignas para a população.

          • Name disse:

            Confesso que é difícil mesmo crescer neste país, mas por conta do alto valor dos bens de consumo e do povo que não aprende o poder do boicote e dos acomodados que não querem estudar e crescer intelectualmente.

      • Ricardo disse:

        Ah… não pode, é? E quem falou que é só 4%? 8%? E o imposto federal de Ganhos de Capital? Estados Unidos cobram mais impostos mas não têm cartórios, só para os cartórios o donatário ou herdeiro tem que pagar mais 2%, e se for para inventário para mais 2,5% para a Justiça, mais o “devogado” entre 4% (se for bonzinho) e 9%

        Meu chapa, os custos da transmissão de um bem, digamos rural, chegam a 11% a 15%. Muitas vezes os herdeiros precisam vender o bem porque não têm como pagar! E esses que vocês pensam que é um herdeiro preguiçoso é, na verdade, mais um membro da família trabalhando com os pais para progredir, para produzir, conheço muitos, muitos, e se lhe querem usurpar aquilo que ele ajudou a construir? Ora, vão trabalhar, vão.

    • Stephan Schellmann disse:

      Bom dia! De fato, ser “rico” não é crime, todavia, o modo com o ficam muitas vezes (e na maioria) é crime. Exemplos: Jato, helicóptero, iate com valores de milhões, são isentos de IPVA (ou equivalente) tributação. Lei 9.250/95 – isenta todos rentistas, quotistas, acionistas de pagar imposto de renda, ou seja, recebem BILHÕES e nada pagam e o simples trabalhador tem que pagar imposto de renda (piada de mal gosto) de até 27,5% sobre seus parcos ganhos! Safra, Setúbal, Sales, Batista, Lehman, Marinhos, etc., fora algumas poucas dezenas de bilionários nada pagam, ou se pagam, é ínfimo em relação à seu montante! Banqueiros? Cobram juros criminosos e com a permissão legal! Assim é fácil ficar rico!!! Ah sim, fizeram alguma excrecência nas empresas? Não tem problema, pois basta passar ao Estado brasileiro que este paga tudo, bem ao exemplo da CEF que “assumiu” o Banco Pan (déficit de 2,5 bi) do homem sorriso! E nós? Ah sim, quebrou a micro? Que se lasque, e, ainda te cobrarão os atrasados!!! Estes não são “ricos”, mas sim, criminosos!

      • Name disse:

        Primeiro: Eu não questionei em nenhum momento a origem do dinheiro dos ricos. Se veio de algo ilícito, aí sim temos um crime. Em nenhum momento eu disse que a origem é irrelevante. Não distorça. Segundo: O senhor está totalmente desinformado sobre os impostos pagos por proprietários de aeronaves e embarcações. Até para deixar parado paga-se valores altíssimos. Eu falo isso porque estudei manutenção de aeronaves e convivi durante 5 anos em aeroporto. O restante do seu texto o senhor questiona a origem da fortuna, coisa que eu em nenhum momento questionei. Se for de origem ilícita, há crime evidente. Simples. Se você considera injusta a origem, é apenas uma opinião pessoal, que eu respeito. O que eu estou questionando é a taxação de grandes fortunas e não a origem dela. Cada um é responsável pela origem e respondem por ela.

        • Gustavo Rodrigues disse:

          Quem simplesmente não entende de impostos é o senhor. É muito fácil mascarar bens no Brasil como propriedades de uma empresa e deixar que impostos mais contundentes sejam aplicados. Novamente, a injustiça não é uma opinião, ela é comprovada pela taxação, principalmente em países da OCDE, que vc parece ignorar a existência de maneira conveniente.

        • Stephan Schellmann disse:

          Prezado senhor, boa tarde! Estamos do mesmo lado, ou seja, somos vítimas de um sistema perverso. Antes de mais nada, não devemos atuar como inimigos, coisa que não somos! Não o conheço e tenho-lhe profundo respeito.
          Vamos lá:
          1) Eu entendi muito bem que o senhor não questionou em nenhum momento a origem do dinheiro dos ricos. E eu manifestei-me argumentando que, o dinheiro destes tais “ricos” é em geral, fruto de ilícito sim, pois quando a lei é feita apenas para os favorecer, sim é dinheiro sujo. Exemplifico a quebra da lei de usura, esta, claramente feita pelos banqueiros, na qual, se permite cobrarem o que bem quiserem de juros! Isso é um ato criminoso, revestido falsamente de lei!!! É isso que quero dizer! Lei 9.250/95 isentando estes de pagar imposto de renda. Crime!!! Se o senhor recebe 5 mil tem que pagar 27,5% de imposto de renda mas os banqueiros recebem bilhões e nada pagam. É justo? Claro que não… Ademais, veja os argumentos. Concordamos sim, que dinheiro de origem ilícita deve ser retirado, confiscado e devolvido aos cofres públicos e, obviamente, corretamente utilizado!
          2) Imposto é uma coisa, manutenção é outra… Não tenho como questionar vosso conhecimento aeronáutico, visto de nada entender, todavia, eu não mencionei eventuais custos de manutenção, que obviamente é atinente à qualquer aparelho, equipamento ou bem em si, mas sim, mencionei o fato de não haver tributação (impostos) sobre tais bens sendo um total disparate, como senhor mesmo pode avaliar. Um proprietário de Uno, Corsa, ou outro que custe em torno de 20 mil tem que pagar IPVA, e o proprietário de um jato ou iate de 20 milhões está isento! Quem tem 20 milhões tem alto poder aquisitivo. Princípio da capacidade contributiva do direito tributário! Quem mais tem, mais deve pagar! Assim se faz justiça.

          Prezado senhor, lamentavelmente nosso país valoriza o capital especulativo em detrimento do capital produtivo e os vagabundos especuladores (equivocadamente denominados investidores quando são na verdade, apenas especuladores, visto que, investir é fazer algo sólido, ou no mínimo, deixar os valores em ações por algum tempo, porém os grandes especuladores entram de manhã, auferem um lucro absurdo, pegam a grana no final do dia e dão o dedo do meio ao país) de bolsa de valores (não me refiro aos micro-especuladores, visto que estes pagam imposto sobre rendimentos auferidos da brincadeira na bolsa), mas sim, dos grandes tubarões que apenas especulam e nada deixam em retorno. Infelizmente há diversos escapes “legais” (ONG, fundação, igreja, leis de incentivo à cultura – equivocadamente aplicadas, etc.), tudo com o intuíto de não pagar impostos, taxas, tributos, etc. porém revestidas de uma pseudo-legalidade, mas que é um crime em si!
          Infelizmente somos uma colônia à mercê dos donos do mundo, que, obviamente, querem justamente isso. Quanto pior, melhor pra eles!

          • Name disse:

            Pois é. Temos muito ainda o que melhorar no Brasil. Muito mesmo. Só não sou favorável à taxação de grandes fortunas assim como sou contra a cobrança de Imposto de Renda.

          • Stephan Schellmann disse:

            Sim, muito mesmo à melhorar. Uma vez mais, nenhuma destas fortunas, e me refiro aos bilhões e não à classe média baixa, do qual sou parte, foi adquirida com esforço, visto que, a legislação fez tudo por eles… Veja o exemplo do Itaú, Safra e Bradesco. Com juros de 300 ~ 600% ao ano é muito simples ficar rico! E nem tem que pagar impostos (renda, ICMS, ISS, etc, visto que bancos nada pagam, ou caso alguém já recebeu nota fiscal de algum banco?)!!! Assim é fácil! Entendemos o ponto… Todo ordenamento jurídico taxa estas fortunas, além da renda, e aqui, em nossa santa terrinha tupiniquim eles não pagam nem um dos dois!!! Se devemos isentar de imposto de renda estes, então também temos que ser isentos,m as o que acontece é que justamente eles não pagam e nós temos que pagar!!!
            Obrigado pela sua inteligente perspectiva e tenha uma boa tarde!

          • Name disse:

            O senhor é um exemplo de gente inteligente que sabe dialogar e discutir. Podemos não concordar em tudo (ainda julgo injusto quem ganha mais, pagar mais; uma vez que o mais pobre não ganhará nada a mais por isso, apenas o Estado; e cobrar mais de quem ganha mais demonstra desigualdade de tributação, o que julgo injusto), mas assim é que se faz um diálogo que acrescenta e enriquece o ser humano. O senhor deu exemplo da civilidade, maturidade e sensatez que atualmente está faltando à maioria do povo. Eu concordo contigo com relação ao lucro dos bancos. Eu, pelo menos por enquanto, não colaboro com o lucro de tais bancos. Tenho apenas um financiamento habitacional na Caixa Econômica Federal. Fora isso, nenhum financiamento. E nem cartão de crédito eu tenho. Posso afirmar que faço a minha parte contra os juros exorbitantes praticados pelos bancos. Infelizmente não tenho condições de pagar meu apartamento à vista, mas de resto eu faço o que posso. Agradeço pela sua educação e polidez.

          • Stephan Schellmann disse:

            Caro senhor, uma vez mais, sim, é uma satisfação conversar em alto nível. O que o direito tributário tenta, ou pelo menos, deveria, é equilibrar a balança para todos. Numa ilustração lúdica, não se pode exigir que uma criança de cinco anos erga um peso de cem quilos, mas podemos exigir que um halterofilista o faça. Deste modo, é a tributação. Quem mais ganha, mais deve pagar. O que está errado em nosso ordenamento jurídico são as alíquotas aplicadas, e também tudo que eu já havia mencionado e se quisermos equilibrar tudo, devemos cobrar de modo justo. Por exemplo, quem recebe até uns dez/quinze mil, deveria ser isento e, quem recebe dez milhões deveria pagar 60% de imposto de renda… E assim vai… Nossa tributação exige até 40% dos pobres e chega a isentar ou, no máximo, cobrar 0,1% dos ultra-ricos. Isto é uma injustiça total!

          • Name disse:

            Eu entendo como funciona a tributação. Sei como funciona, por isso eu questiono. Aproveitarei sua analogia para exemplificar o que eu julgo que seria justo: Ao invés de exigir que uma criança e um halterofilista ergam um peso de cem quilos, por que não exigir que ambos ergam 2 quilos? Quanto ao Imposto de Renda eu penso o seguinte: Nós, ricos, pobres ou milionários, pagamos impostos por todos os bens de consumo. E pagamos em impostos quase metade do valor dos alimentos. Ora, se já pagamos pelo que compramos e o vendedor paga pelo que vendeu à nós, por que “meter a mão” no fruto de nosso trabalho? O salário que eu ganho é fruto do meu trabalho e não do Estado. Então que direito tem o Estado de tirar parte do que eu ganho com o meu trabalho? É isto que eu acho injusto. Se meu trabalho me paga mal ou exorbitantemente bem, é fruto do meu trabalho e o Estado nada deveria ter a ver com isso. Bom, é assim que eu penso.

    • cristian disse:

      Ser rico não é crime em lugar nenhum, grandes empresários são importantíssimos na máquina produtiva, o que a lei pretende é nada mais que certas pessoas paguem o que devem na mesma proporção daqueles com menos renda, entendeu? ou você acha que nossa tabela do IR é justa? é justo o pagamento de bonificações de diretores ser livre de IR? é justo cobrar imposto das empresas (setor produtivo) e não das pessoas físicas (quem não geram contrapartida) ? É justo todo mundo pagar IPVA e jatos, barcos e helicópteros não? quem ganha mais automaticamente se beneficia mais do sistema, dinheiro gera dinheiro, já ouviu falar? nada mais justo que pague mais por isso…

      • Name disse:

        Eu julgo injusto o próprio Imposto de Renda. Considero um absurdo o Estado abocanhar uma parte do fruto do meu trabalho. Incluo nesta lista, benefícios, premiações lotéricas, heranças. Já pagamos imposto elevado sobre bens de consumo (isso afeta ricos e pobres e deveria ser revisto). Eu estudei manutenção de aeronaves e por este motivo praticamente morei num aeroporto durante 5 anos e conheço como funciona a aviação e posso afirmar com tranquilidade que o senhor desconhece completamente as altas tributações que envolvem a aviação. Até para ficar parado se paga altíssimo valor para a Infraero e para o dono do hangar. Paga-se altíssimos valores para renovação de licenças e documentações referentes às aeronaves e seus pilotos. A ignorância usada com argumento é algo reprovável. Busque se informar. Concordo que dinheiro gera dinheiro, mas não julgo justo quem ganha mais pagar mais. Dou um exemplo: Um dos tributos cujo cálculo que julgo uma aberração é o IPVA. Meu carro tem mais de 20 anos de uso e é isento do imposto. Ora, meu carro causa os mesmo impactos que um carro de 1 milhão de Reais. Por que eu deveria ser isento e o outro pagar um absurdo de imposto? Acho que todos os veículos automotores (respeitando as categorias) deveria pagar o mesmo valor; e que este valor fosse algo dentro da realidade financeira da maioria da população.

        • Gustavo Rodrigues disse:

          Imposto de Renda injusto!!!!kkkkkkkk Esse cara é doido. Falou o egoistinha, o alecrim dourado, que conquistou tudo por conta própria nessa vida, sem herança, sem trapacear ninguém, sem ajuda do estado em transporte, saúde e educação. Eita pobrada de direita…..ou novo rico, no máximo.

          • Name disse:

            Sou doido? Isso é sua opinião e eu respeito, mesmo não tendo nenhum embasamento concreto, somente achismo. Egoistinha? O senhor tem que idade? 12? 13?. Fala como adolescente rebelde. Bom, usando como referência o termo “pobrada de direita”, chego a conclusão de o senhor é apenas um massa de manobra do Partido. Pobre de direita é argumento dos idiotas. Dos imbecis que foram manipulados e se acham os sábios do século. Suas palavras lhe traem . O senhor passa vergonha desta maneira.

        • cristian disse:

          Com relação a bens como barcos e aeronaves até concordo pois as despesas citadas geram empregos em marinas e hangares… Sobre o IPVA o mais correto seria não existir já que é um tributo sobre um bem conquistado, como IPTU por exemplo. Agora o Imposto de renda é a melhor forma de distribuir (onde funciona) riqueza, comprovadamente, cobrar sobre o capital, e não sobre o consumo ou o trabalho. O problema real é existe alta concentração de renda e isso não tem nada a ver com meritocracia, então como faz? deixa cada um por si? quem nasceu pobre que se vire enquanto quem nasceu rico não tem nada a ver com isso?

          • Name disse:

            Você acha injusto cobrar imposto sobre bens conquistados e acha certo cobrar sobre o fruto do nosso trabalho? // Você dá a entender que é favorável ao Imposto de Renda e logo em seguida afirma ser contra cobrar imposto sobre o trabalho. Não entendi. Quanto à última frase (pergunta) se seu comentário, eu respondo: sim. Eu sou pobre e “me viro”. Vivo minha realidade de acordo com ela.

          • cristian disse:

            Quando digo imposto sobre trabalho são as tributações sobre folha de pagamento. Imposto de renda é um imposto sobre patrimônio (capital + bens) e acho entre todos o mais justo (falta ainda tributar bônus e dividendos pessoais e retirar a tributação de IR das empresas que considero um imposto que tira dinheiro de investimentos). A realidade podemos mudar, as vezes sozinhos, as vezes precisamos de uma ajuda, tem muita gente que tem capacidade mais não tem condição, ai acho que o da pra fazer algo, seja o Estado, ONGs, pessoas físicas, entidades, qualquer um.

          • Name disse:

            Errado. Imposto de renda não sobre patrimônio. Os bens são declarados para fins de comparação entre o poder aquisitivo e os bens comprados. O imposto de renda é sobre a renda, fruto do trabalho. Ah, “mais” e “mas” possuem significados diferentes.

    • Ricardo disse:

      Plenamente de acordo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via