Com pandemia, réveillon no Rio de Janeiro deve ser virtual, aposta Crivella

O prefeito Marcelo Crivella afirmou hoje (26) que a festa de réveillon deste ano não foi cancelada, mas terá que ser reformulada, por causa da pandemia de covid-19.

Crivella disse que, assim que receber da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) a proposta de um novo formato para o evento, com possibilidades virtuais, levará o projeto à discussão com o setor de hotéis e restaurantes e demais envolvidos na festa da virada de ano.

Segundo o prefeito, o formato do evento precisará ser remodelado caso não seja descoberta a tempo uma vacina para conter a doença provocada pelo novo coronavírus. “Não foi adiado. Estamos pensando em fazer o réveillon de outro jeito.”

Na semana passada, a prefeitura havia considerado "inviável" a realização da festa nos moldes tradicionais

Ele informou ter recebido da Riotur um comunicado dizendo que, se continuar a pandemia, e não houver um retroviral ou uma vacina, a festa terá de ser virtual. “Vamos discutir com os hoteis e os restaurantes como será feito isso.”

A Riotur reiterou que o réveillon do Rio de Janeiro está mantido, mas deverá ser “obviamente” adaptado à nova realidade da pandemia.

De acordo com a empresa, embora não haja ainda um formato definido para a festa da virada, não estão cancelados a queima de fogos, nem os shows e projetos de iluminação.

Crivella disse que espera ter notícias novas sobre o assunto nesta semana.

Situação da pandemia no estado do RJ

O estado do Rio de Janeiro registrou 154 mortes de entre sexta (24) e sábado (25), e um total de 12.808 óbitos desde o início da pandemia no país, em março. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro há 156.293 casos confirmados do novo coronavírus no estado. Há ainda 1.160 óbitos em investigação e 318 foram descartados. Entre os casos confirmados, 133.831 pacientes se recuperaram da doença.

Do total de infectados pela covid-19 no estado, o município do Rio lidera com 69.546 casos confirmados da doença. Em seguida vem Niterói com 8.682 infectados. Seguidos de: São Gonçalo (7.880); Duque de Caxias (5.542); Macaé (5.182); Nova Iguaçu (4.006); Angra dos Reis (3.647); Itaboraí (3.182); Volta Redonda (3.100); Campos dos Goytacazes (2.766); Magé (2.441); São João de Meriti (2.167);  Teresópolis (2.068);  Belford Roxo (2.021); Maricá (1.985);  Queimados( 1.957);   Itaguaí (1.822 ); Itaperuna (1.534); Cabo Frio (1.310); Petrópolis (1.162) e Rio das Ostras (1.081).

Entre as 12.808 mortes de covid-19 no estado, a cidade do Rio de Janeiro tem  8.004 óbitos.  São Gonçalo vem em segundo com  572  mortes. Depois, Duque de Caxias (527).

*Com informações da Agência Brasil

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!