Coronavírus: Sobe para 132 o número de casos suspeitos no Brasil

Subiu de 20 para 132 o total de casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil. Esses casos ainda precisam ser confirmados após a realização de exames. As informações foram dadas na tarde desta quinta-feira (27) pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a pasta, 213 notificações ainda estão em análises e 60 casos foram descartados. O secretário-executivo, João Gabbardo projeta que o  número de suspeitas possa atingir a marca de 300 casos."Esse número não é definitivo. É muito maior que 132. Ficamos com 213 notificações ainda não analisadas. Elas podem ser todas consideradas suspeitas ou apenas uma parte, mas dá para a gente avaliar que, na verdade, temos perto de 300 casos suspeitos”, ponderou.

Dólar bate R$ 4,44 e renova máxima histórica após 1º caso de coronavírus

Estados com suspeita

Os casos suspeitos estão distribuídos em: São Paulo (55), Rio de Janeiro (9), Minas Gerais (5), Santa Catarina (8), Rio Grande do Sul (24), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (3), Mato Grosso do Sul (2), Alagoas (1), Bahia (1), Ceará (5), Paraíba (1), Pernambuco (3) e Rio Grande do Norte (4).

O Secretário-Executivo da pasta explicou que aumento no número é consequência de um conjunto de fatores, incluindo o primeiro caso confirmado no país que deixou as pessoas apreensivas. "As pessoas ficaram mais apreensivas, buscaram mais atendimento médico e os próprios profissionais de saúde, sabendo que tem um caso confirmado, eles ficaram mais atentos e receosos de deixar passar um caso sem ter feito o diagnostico", disse.

Ele também complementou que o fluxo migratório e o aumento na lista de países em que há transmissão do vírus também influenciaram. "O número cresceu muito nessas 48h. Evidentemente que isso se deve às mudanças de critérios de casos suspeitos, à inclusão de novos países, ao fluxo migratório significativo desses países da Europa, principalmente Itália, Alemanha e França", considerou.

Campanha da gripe antecipada

Em outra coletiva realizada ainda hoje, em São Paulo, o governo anunciou que irá antecipar a campanha nacional de vacinação da gripe, que estava prevista para abril. Agora, ela terá início no dia 23 de março.

A vacina contra a gripe não previne o coronavírus, mas de acordo com o governo pode facilitar o diagnóstico da síndrome respiratória Covid-19, causada pelo novo coronavírus, e evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado, uma vez que pode facilitar o diagnóstico pelos profissionais de saúde ao analisarem casos de pessoas que apresentam um quadro de sintomas similares aos do coronavírus.

 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!