“É mais uma gripe que a humanidade vai ter que atravessar”, diz ministro

O Brasil teve o primeiro caso de coronavírus confirmado, em São Paulo, nesta quarta-feira (26). O homem infectado tem 61 anos e fez uma viagem a trabalho para a Itália, na região da Lombardia, entre os dias 9 e 21 de fevereiro. A Itália é um dos 16 países com casos confirmados de infecção de coronavírus e com um registro de 9 mortes entre sexta-feira (21) e segunda-feira (24). Segundo o Ministério da Saúde, o paciente deu entrada no hospital Israelita Albert Einstein, na terça-feira (25). Atualmente, este paciente encontra-se em isolamento domiciliar com a sua família.

>“Criar tensão institucional não ajuda o país”, diz Maia sobre Bolsonaro

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta explica que o status sanitário continua o mesmo, pois o país se antecipou e elevou o nível para o terceiro grau, o de Emergência em Saúde de Interesse Nacional, antes de ser confirmado o primeiro caso. Essa medida foi tomada no momento em que brasileiros foram repatriados da região epicentro da epidemia, Wuhan, na China.

“É mais um tipo de gripe que a humanidade vai ter que atravessar. Das gripes históricas com letalidade maior, o coronavírus se comporta à menor e tem transmissibilidade similar a determinada gripes que a humanidade já superou”, afirmou o ministro.

Segundo o ministro, já era esperada a circulação do vírus no Brasil, mas ele destaca que as condições climáticas no país são diferentes das outras regiões com registros da doença, que estão no inverno, época com um maior risco de transmissão. Agora é o momento também de observar como o vírus se comporta num país tropical e no verão.

“Agora vamos acompanhar o comportamento do vírus no hemisfério sul, qual o grau de transmissibilidade e letalidade. Gostaria de parabenizar o sistema de vigilância, os laboratórios, o Instituto Adolfo Lutz, pela agilidade para realizar os exames e a contra-prova. Vamos sair mais forte do que entramos e com mais capacidade de reagir a essas situações”, afirmou o ministro.

Para evitar a contaminação pelo coronavírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene pessoal como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenços descartáveis, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar e evitar tocar os olhos com as mãos sujas.

>Em tuíte, Bolsonaro não nega convocação de aliados a ato anti-Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!