Congresso em Foco

lalalala

É preciso distinguir verba indenizatória de remuneração de magistrados, defende AMB

13.10.2017 15:13 3
Atualizado em 26.04.2018 12:15

Reportagem Em

3 respostas para “É preciso distinguir verba indenizatória de remuneração de magistrados, defende AMB”

  1. O ELEFANTE NA SALA disse:

    O tema da remuneração no serviço público é tudo de calamitoso: espolia o contribuinte, empulha a cidadania e sacaneia os bons servidores concursados e aplicados. Este é o mais grave e repugnante problema da república (com minúscula), que deverá fazer afundar todos os governos que se portarem como demissionários cagões, sejam de esquerda, direita, centro, autoritários ou liberais. A mais calamitosa mazela da constituinte de 1987/88, além de criar uma superaristocracia caríssima dentro da aristocracia corporativa autoindulgente, ainda aprisionou a opinião pública e seus fabricantes dentro de uma camisa-de-força autorrepressiva, cega, surda e muda ante esse tabu-flagelo nacional. Por último, mas não secundário: se nada for feito a tempo, a maioria silenciosa vai uma vez mais embarcar, com carradas de razão, numa aventura messiânica tipo ‘caçador de marajás’. ET: quem achar que é exagero e paranoia, que pare de ver abobrinhas na TV e redes sociais e se habitue a decifrar os dados assombrosos da ‘transparência’ governamental na internet.

  2. Walldemar Sobrinho disse:

    Salário bruto de um médico emergencista num hospital federal (carga horária de 40 horas semanais) = R$ 6.335, líquido = R$ 3.980. Não tem plano de carreira. Não tem qualquer ajuda de custo de qualquer natureza. Não tem plano de saúde. Não tem “verbas indenizatórias”. Estou falando isso apenas para termos uma referência de rendimentos de profissionais do serviço público.

    • Valdir disse:

      Em compensação, vai ver, o carinha que trabalha no STF só para colocar a toga no ministro e puxar-lhe a cadeira, deve ter um salário por volta de uns R$ 22 mil……
      E agora ficou pior porque as decisões do STF não valem mais nada. Quem dá a sentença final é o legislativo.
      Brasil meu amigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via