Trump sabia da gravidade da covid-19 e mentiu ao minimizar riscos, mostra livro

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu ter minimizado os riscos da pandemia de coronavírus. As declarações estão em um livro do renomado jornalista Bob Woodward que será publicado em breve. As declarações foram divulgadas nesta quarta-feira (9) pelo jornal The Washington Post e pela rede de TV CNN.

> “Gripezinha” e “histeria”: cinco vezes em que Bolsonaro minimizou o coronavírus

Em uma conversa com o jornalista no dia 7 de fevereiro, Trump disse que o vírus era mortal. “Então isso é muito complicado. Isso é muito delicado. É também algo muito mais mortal do que uma gripe forte. Isso é mortal”, disse. 

Apesar de saber dos perigos do vírus, o presidente intencionalmente minimizou a ameaça. Na mesma época, em discursos públicos, disse que a pandemia não era tão grave e se assemelhava a uma gripe comum. 

Em uma segunda entrevista a Woodward, no dia 19 de março, Trump admitiu ter minimizado os riscos da doença. 

“Eu sempre quis minimizar isso. Eu ainda gosto de minimizar, porque não quero criar pânico”, disse o presidente. 

As conversas foram gravadas pelo jornalista e as gravações foram publicadas pela imprensa americana. 

A revelação gerou reações. Adversário de Trump na disputa presidencial, o democrata Joe Biden disse que Trump mentiu ao povo americano ao minimizar de propósito os riscos da pandemia. 

Assim como Donald Trump tem feito nos Estados Unidos, o Jair Bolsonaro tem dados seguidas declarações e demonstrações que minimizam os riscos da pandemia, ainda que a covid-19 já tenha matado 127 mil pessoas no Brasil.

> Trump diz que se tivesse seguido Brasil teria 2 milhões de mortes por covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!