PSDB ameaça expulsar deputado que se aliou ao Centrão para enfraquecer Maia

O PSDB divulgou nesta quarta-feira (5) uma nota nas redes sociais para informar que vai abrir um procedimento para que o deputado Celso Sabino seja expulso do partido. Sabino foi indicado por um conjunto de 11 partidos para ser líder da maioria na Câmara.

“Comunicamos que, ainda na tarde de hoje, serão adotadas as medidas formais para submeter, conforme regras internas, a solicitação de expulsão do deputado Celso Sabino dos quadros do PSDB”, escreveu o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo.

> Centrão manobra para destituir aliado de Maia de liderança

O movimento para indicar Sabino para o cargo foi capitaneado pelos líderes Arthur Lira (PP) e Wellington Roberto (PL) para tirar da função o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), um dos principais aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).  A substituição ainda precisa ser confirmada por Rodrigo Maia.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

Ato da mesa diretora que estabeleceu o sistema de votação remota exige que esse tipo de requerimento seja apresentado dentro do sistema da Câmara. O requerimento apresentado pelos líderes do Centrão foi por e-mail e por isso foi invalidado.

Os deputados defendem a validade da solicitação e dizem que o regimento interno da Câmara é maior que um ato da mesa diretora. Mesmo assim, Lira e Wellington agora tentam reunir outra vez as 11 assinaturas para que o requerimento seja enviado de novo, dessa vez pelo sistema da Casa.

Lira e Maia têm travado um embate. O deputado do PP de Alagoas quer ser presidente da Câmara e, para isso, tem feito uma ponte entre governo e Congresso para nomeação de cargos. O presidente da Câmara é próximo de Aguinaldo Ribeiro, que tem um perfil independente do governo. Ele é o relator da reforma tributária.

Veja a lista dos partidos que apoiaram a troca de Aguinaldo por Sabino:

O movimento de tentar tirar Aguinaldo da liderança da maioria acontece após DEM, MDB, PTB e Pros anunciarem que vão sair de um bloco partidário comandado por Arthur Lira. Com 351 deputados até março, o bloco liderado pelo deputado do PP vai ficar  com 135 (PP, PL, PSD, Solidariedade, PSD e Avante). Também já saíram PSDB, Republicanos, PSC e Patriota. O grupo foi formado no início do ano para negociar espaços na Comissão Mista de Orçamento.

Celso Sabino é um aliado do deputado Aécio Neves (PSDB-MG) e chegou a exercer por poucos dias a função de líder do PSDB. No final do ano passado, o partido viveu uma guerra de listas para escolher o novo líder. Por conta da divisão da bancada, Carlos Sampaio foi escolhido para ficar mais um ano na função.

A liderança da maioria é um cargo representativo do conjunto de partidos da Câmara que estão identificados com a posição majoritária da Casa. Em governos anteriores, o grupo costumava ser associado a uma postura governista, mas no governo de Jair Bolsonaro, o bloco tem atuado de forma independente.

Leia  nota do PSDB:

Considerando os fatos noticiados ontem, pela imprensa nacional, de possível nomeação para liderança da maioria do deputado Celso Sabino (PSDB-PA);
Considerando a formalização, na data
de hoje, do referido deputado para o cargo;
Considerando a posição política do PSDB em relação ao governo federal;
Considerando a postura do parlamentar, sem discussão e em dissonância com o partido, com as lideranças nacionais e de bancada, a respeito das repercussões e consequências de se deixar indicar para tal função dentro da Câmara Federal;
Comunicamos que, ainda na tarde de hoje, serão adotadas as medidas formais para submeter, conforme regras internas, a solicitação de expulsão do deputado Celso Sabino dos quadros do PSDB.

Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB.

>“Nada a ver com eleição”, diz Maia sobre saída do DEM e do MDB do Centrão

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!