Oposição marca protestos em resposta a Bolsonaro

O PT e o Psol preparam manifestações no mês que vem em resposta ao protesto planejado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contra o Congresso Nacional, que deve ocorrer em 15 de março.

> Reformas vivem incerteza no Congresso após novo atrito com Bolsonaro

A informação foi divulgada nas redes sociais da sigla socialista e da presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), nesta quarta-feira (26), um dia após veículos de imprensa noticiarem que Bolsonaro compartilhou um vídeo de apoio às manifestações contra os deputados e senadores.

"A escalada autoritária do governo Bolsonaro deve ser enfrentada c/ a construção de manifestações de rua pela democracia e pelos direitos do povo", disse Gleisi no Twitter.

As manifestações contrárias a Bolsonaro estão marcadas para o dia Internacional das Mulheres, 8 de março, no dia em que o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco completa dois anos, 14 de março, e 18 de março, quando deve ocorrer uma greve nacional da educação.

De acordo com a nota divulgada pelo Psol, o ato do presidente Bolsonaro "representa um passo a mais na escalada autoritária da extrema-direita".  "Ao envolver-se diretamente na convocação de manifestações pelo fechamento do Congresso Nacional, Bolsonaro comete crime de responsabilidade e crime de improbidade", afirma.

A presidente do PT disse ainda que partidos de oposição marcaram para a próxima terça-feira (3) uma reunião com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), além de de entidades de movimentos sociais e líderes políticos de outros partidos "que tenham compromisso com a democracia".

> “Criar tensão institucional não ajuda o país”, diz Maia sobre Bolsonaro

> Em tuíte, Bolsonaro não nega convocação de aliados a ato anti-Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!