Maia nega que desembarque do Centrão esteja associado à disputa por comando da Câmara

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (29) que as movimentações no Centrão não estão ligadas à eleição da Câmara de 2021. “Já viu maratona? Geralmente tem sempre um que sai na frente e esse que sai correndo muito rápido no início não termina a corrida. A eleição é em fevereiro. A interpretação aos movimentos que sempre acontecem, como aconteceram esta semana, é da imprensa. Não é tema para o momento. Ainda temos uma pandemia impactando empregos e renda. Não é hora de tratar de eleição”, disse.

Maia também aproveitou para elogiar os líderes. “Tenho admiração e respeito pelos líderes e não trabalharia minha sucessão contra nenhum deles. Não tem intenção, da minha parte, de antecipar o processo eleitoral da Câmara ou trabalhar contra deputado A ou B, não seria legítimos da minha parte”.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

O presidente também disse que a movimentação não guarda relação com pautas de interesse do governo. “A formação de blocos são estratégias de cada partido. Isso não enfraquece nem fortalece ninguém. O governo vem montando base e diálogo com vários partidos, inclusive na pauta econômica com o próprio DEM. Mas há divergências em pautas de valores. Cabe à presidência arbitrar contra essa pauta. Minha prioridade é a pauta econômica e estou cumprindo isso”, apontou.

Questionado sobre estar sofrendo pressão para a troca da liderança da Maioria após o desembarque dos partidos do Centrão, Maia encerrou a entrevista.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!