Deputado do PSL deve apagar críticas à militante do Psol, decide Justiça

A justiça determinou que o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) tire das suas redes sociais um dos vídeos que publicou após discutir com uma militante do Psol na faculdade em que estuda Direito no Rio de Janeiro. A decisão se refere ao vídeo em que o parlamentar reforça as críticas ao Psol e à militante Nayara Berdnasky, mas também expõe a identidade do ex-marido de Nayara e o acusa de bater na mulher.

> Briga com militante do Psol rende processo a deputado do PSL

Nayara Berdnasky, que aparece trocando xingamentos e até cuspidas com Daniel Silveira em um vídeo postado pelo deputado antes disso, explica que o seu ex-marido processou o parlamentar por conta desse segundo vídeo. Ele apresentou uma ação na esfera criminal da Justiça do Rio de Janeiro pedindo a retirada do vídeo, o ressarcimento por danos morais e um pedido de desculpas. "Ele é advogado e estava tendo a imagem prejudicada por conta disso", alegou Nayara, contando que na semana passada o juiz Carlos Andre Spielmann expediu uma liminar atendendo ao primeiro pedido do ex-marido dela: a retirada do vídeo.

A liminar, à qual o Congresso em Foco teve acesso, argumenta que "embora o réu seja deputado federal e goza de imunidade material para manifestação de opinião e ideias, isso somente o protege quando o pronunciamento estiver diretamente relacionado com a atuação como parlamentar - o que aqui não sucede". O juiz pede, então, que Daniel Silveira retire o vídeo do ar em um prazo de três dias, a contar da data em que for notificado da decisão, sob pena de multa diária de R$ 2 mil.

O juiz, contudo, negou o pedido de desculpas solicitado pelo ex-marido de Nayara Berdnasky e ainda vai avaliar a possibilidade de ressarcimento por danos morais. "É correto que se obrigue o réu a excluir os vídeos de suas redes sociais, mantidas na Internet. Não há motivo, porém, para que ele seja compelido a retratar-se, manifestando-se de forma contrária, pois isso sim implicaria, em meu juízo, uma restrição indevida às suas liberdades constitucionais", explicou.

Procurado, o deputado Daniel Silveira disse por meio da sua assessoria que ainda não foi notificado da decisão judicial. Por isso, o vídeo segue no ar. É uma gravação de aproximadamente seis minutos em que o parlamentar tenta justificar a briga com Nayara, critica a militante, o ex-marido dela e o Psol.


Ele diz que só revidou aos ataques de Nayara na faculdade e revela informações pessoais da estudante. "É uma tal de Nayara, que mora no município de Areial, na região serrana do Rio. Já recebi várias informações falando que é barraqueira. Não sou eu que estou dizendo, são informações de pessoas que moram no mesmo município que ela. Ela falou que é feminista. Falou que é do Psol, logo defensora da maconha, do aborto e da sexualização de crianças. É feminista, mas segundo informações, não sou eu estou falando, esse aqui é o marido dela", diz Daniel Silveira, que começa a mostrar fotos do ex-marido de Nayara no vídeo.

Em uma das fotos, o rapaz aparece ao lado do deputado Glauber Braga (Psol-RJ), que também é criticado por Daniel Silveira. Na outra, está abraçado com Nayara. "Ela falou que era feminista. Mas, segundo informações, o marido batia nela. Várias vezes a PM foi acionada e atendeu várias ocorrências em que ela apanhou dele. Feminista não defende a ideologia de independência dos homens", provocou Silveira, que chama o homem de agressor contumaz.

O deputado do PSL ainda conclui o vídeo dizendo que toda essa discussão com Nayara representa um "recado claro" para a esquerda. "Ela me agrediu achando que eu permaneceria quieto. Isso não vai acontecer. É um recado claro para qualquer esquerdista. Fatalmente, se fosse homem ia tomar um soco na boca para engolir os dentes, porque não vão cuspir na minha cara e ficar por isso mesmo. Depois respondo por legítima defesa da honra. Não podemos permitir que seja mulher, seja de esquerda, fale o que quer e fique por isso mesmo", afirmou Silveira.

Veja o vídeo, que, segundo a Justiça, deve ser retirado do ar:

Briga na faculdade

Nayara Berdnasky também apresentou um processo contra Daniel Silveira por conta da briga em que eles trocam acusações de fascista e gorda e acabam cuspindo um no outro na lanchonete da faculdade. A discussão foi gravada e publicada nas redes sociais pelo próprio Daniel Silveira, o que, segundo Nayara, lhe trouxe prejuízos. Ela diz que, ao ter a identidade revelada pelo deputado do PSL, sofreu um linchamento virtual e ainda ficou com medo de sair de casa. Por isso, pede a retirada do vídeo das redes sociais e ressarcimento por danos morais.

Esse processo, contudo, corre na vara cível e ainda não teve andamento como o do ex-marido da estudante. Procurado, Daniel Silveira disse à época da briga que apenas respondeu aos ataques de Nayara e afirmou que postou o vídeo para que as pessoas percebessem isso, para que os fatos não fossem distorcidos. Veja o vídeo da briga que deu origem a esses processos:

> Deputado do PSL briga com militante do Psol: “Se fosse homem, levaria soco”

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!