Enem faz movimentos sociais adiarem manifestação a favor da prisão em segunda instância

Após críticas de estudantes que se preparam para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano, movimentos sociais adiaram para 9 de novembro as manifestações que estão planejando a favor da prisão em segunda instância.

> Terceiro dia de julgamento no STF termina com placar 4 a 3 a favor da prisão em segunda instância

As reclamações sobre a escolha da data começaram ainda na sexta-feira (26) e foram vocalizadas nas redes sociais. Parte dos jovens contrariados endossaram a #Dia3EuNaoVou, que fazia contraposição à  #Dia3EuVou, criada por apoiadores das manifestações.

A mobilização contrária à realização das manifestações no dia do Enem contou até com o apoio do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que agradeceu no Twitter pela mudança na data.

Anualmente, o Enem mobiliza milhões de estudantes em todo o país, que tem que se deslocar com antecedência aos locais de provas para não perder a avaliação. Neste ano, 5.095.308 alunos se inscreveram na prova.

Julgamento do STF

As manifestações programadas para novembro buscam pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF), que deve terminar o julgamento de três ações sobre prisão em segunda instância no começo do mês. Com o voto da ministra Rosa Weber, a expectativa é de que haja uma mudança no entendimento da Corte sobre o tema, em favor da tese que quer o cumprimento de pena somente após o trânsito em julgado dos processos.

A mudança no entendimento pode beneficiar 4.895 presos, entre eles o ex-presidente Lula.

> Decisão de Toffoli sobre Coaf suspende ao menos 700 processos na Justiça

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!