Coaf aponta “movimentação incompatível” na conta de ex-mulher de Wassef

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectou uma movimentação financeira "incompatível" com a renda, na conta da empresária Maria Cristina Boner Leo, ex-mulher de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro. As informações são do jornal O Globo.

>Joice e Matarazzo anunciam candidaturas à prefeitura de SP nesta segunda

A empresária foi alvo de três comunicações do órgão de investigação. A última movimentação suspeita de Maria Cristina foi de uma quantia de mais de R$33,9 milhões entre agosto de 2017 e janeiro de 2018, o que seria incompatível com a sua renda de R$ 75 mil cadastrada na época.

Do montante total, R$ 16,6 milhões eram referentes à operação de crédito e os outros 17,2 foram registrados como débito, ambos com origem na mesma conta. Segundo o relatório do Coaf, "a movimentação foi considerada incompatível com a renda mensal de R$ 75 mil cadastrada à época”. Apesar disso, a movimentação dos valores não é considerada ilegal.

O relatório foi enviado ao Ministério Público do Rio de Janeiro e do Distrito Federal no mês de julho deste ano. Além disso, o documento foi compartilhado com a Polícia Federal.

Segundo o jornal, Wassef recebeu repasses de quantias milionárias da filha de Maria Cristina, Bruna Boner Leo. O seu escritório de advocacia também recebeu montantes milionários da empresa Globalweb, em que Bruna é sócia e Maria Cristina é fundadora e presidente do conselho de administração. A empresa tem contratos com o governo federal.

A empresa afirmou ao veículo que Wassef trabalhou no local há cinco anos. O advogado informou que os repasses feitos por Bruna são referentes à um pagamento de empréstimo.

>Flordelis ofereceu filha a pastores evangélicos, diz TV

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!