Grupo opositor a Bolsonaro com petistas e tucanos vai a Brasília, Rio e Maranhão

O Direitos Já, grupo de oposição ao presidente Jair Bolsonaro com membros de partidos como PT e PSDB, quer ampliar a atuação e fazer o primeiro evento fora de São Paulo. Estão programadas reuniões em Brasília, Rio de Janeiro e São Luís.

“Estamos ainda construindo essa agenda. A gente está trabalhando em vária frentes, vários estados, mas as datas a gente vai discutir. Em breve a gente deve estar em Brasília, Maranhão e Rio de Janeiro”, disse ao Congresso em Foco o sociólogo Fernando Guimarães, filiado ao PSDB e fundador da corrente tucana Esquerda Pra Vale e um dos criadores do movimento.

De acordo com Fernando Guimarães, pelo menos mais um evento será realizado este ano. A escolha do estado onde deve ser a próxima reunião se dará “pelo tamanho da mobilização”, diz o sociólogo.

O criador do Esquerda Pra Valer falou sobre a participação dos tucanos no grupo de oposição a Bolsonaro. “A gente teve a liderança maior do partido que é o presidente Fernando Henrique, a principal liderança de Minas Gerais que é Anastasia. Em São Paulo, tivemos a presença do ministro [Casa Civil no governo FHC] Clovis Carvalho. O Serra não pode comparecer, mas estava confirmada a presença, acho que pesou um pouco o fato do falecimento de Alberto Goldmann, eles eram muito próximos, abalou um pouco. Do PSDB histórico todos estiveram presentes de alguma forma”, afirmou.

> PSDB divulga nota contra Guedes

Na noite dessa segunda-feira (2), em São Paulo, participaram do evento oficial de lançamento do grupo nomes como Ciro Gomes (PDT), Flávio Dino (PCdoB), Márcio França (PSB), Luís Felipe D´ávila (PSDB-SP), Eduardo Suplicy (PT), Paulinho da Força (Solidariedade), Eduardo Jorge (PV) e Marta Suplicy (sem partido).

FHC, Anastasia e Aldo Rebelo (Solidariedade) não participaram do evento, mas enviaram vídeos para serem transmitidos no local.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) também não pôde participar, mas uma mensagem sua foi lida na qual ele deu "total apoio ao movimento".

Fernando Haddad (PT) foi convidado, mas não compareceu ao evento. Guimarães explica por que ele não enviou vídeo: “A presença de Haddad estava confirmada, por isso que a gente não programou vídeo”.

A assessoria de comunicação do petista afirmou que ele não foi ao evento porque recebeu, no mesmo horário, na casa onde reside na capital paulista, uma pessoa em um compromisso pessoal.

O ex-prefeito de São Paulo faz parte do grupo e participou em maio na casa do advogado Pedro Serrano da primeira reunião do Direitos Já.

> UNE protesta contra dinheiro privado nas federais

> Gleisi deve ser reeleita presidente do PT sem forte concorrência

> PT aguarda Lula para definir candidato em São Paulo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!