Eduardo Braga vai relatar indicação de Augusto Aras para a PGR

A indicação de Augusto Aras para o cargo de procurador-geral da República começou a tramitar nesta quarta-feira (11) no Senado Federal, onde o subprocurador precisa ser sabatinado e aprovado para poder assumir o posto que hoje é de Raquel Dodge. A mensagem com a indicação de Aras foi lida no início da noite no plenário pelo presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) e logo seguiu para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que designou como relator da matéria o senador Eduardo Braga (MDB-AM).

> Senadores pedem a Aras isenção e autonomia no MPF

Líder do MDB no Senado, Eduardo Braga recebeu o subprocurador Augusto Aras na sala da liderança do partido nessa terça-feira (10), antes mesmo de Aras se reunir com Alcolumbre e com o colégio de líderes do Senado. Nas redes sociais, Braga disse depois da reunião que o " Senado vai analisar com responsabilidade a indicação para um dos cargos mais importantes da República". Ele também postou uma foto em que cumprimenta e outra em que conversa com Augusto Aras junto dos outros senadores do MDB. Entre eles, estava a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS). Veja as fotos:

Depois dessa conversa, a indicação de Braga para a relatoria da matéria já havia sido ventilada pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), como antecipou o Congresso em Foco.

Já a presidente da CCJ evitou adiantar o nome do relator. Nesta quarta, contudo, ela informou que as próximas duas reuniões da Comissão de Constituição e Justiça do Senado estão livres para que o colegiado avance com a análise da indicação de Aras. "Temos duas quartas-feiras livres, porque a votação [da reforma da Previdência] na CCJ em relação a emendas não vai se dar numa sessão ordinária de quarta-feira, deixando portanto as duas quartas seguintes para possível leitura do relatório da indicação. A próxima quarta, por exemplo, tendo na quarta seguinte a sabatina", calculou Tebet.

A expectativa de Alcolumbre e de Bezerra Coelho é que Augusto Aras seja sabatinado na CCJ e avaliado pelo plenário do Senado entre os dias 23 e 27 deste mês. Caso esse calendário se confirme, Aras não será avaliado pelo Senado antes do término do mandato de Raquel Dodge, que vai até o próximo dia 17. Por isso, é provável que o procurador substituto assuma a chefia da PGR por alguns dias, entre Dodge e Aras.

> Decisão do Senado sobre Aras sai no fim do mês

> Para ex-ministro de Dilma, Aras foi escolha melhor que lista tríplice

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!