Bia Kicis é acusada de racismo ao atacar Moro e Mandetta

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) está sendo denunciada por usuários do Facebook por publicação considerada racista. Uma das aliadas mais próximas do presidente Jair Bolsonaro, Bia divulgou um meme com montagem de fotos em que os ex-ministros Sergio Moro (Justiça) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde) aparecem pintados de preto. O texto diz que os dois mudaram o visual e de cor para conseguir emprego por cota racial na rede Magazine Luiza.

Veja a postagem:

O cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Guilherme Casarões compartilhou a imagem da publicação com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pelo Twitter: “Caro deputado @RodrigoMaia, como fica essa postagem racista e abjeta frente ao Código de Ética da Câmara dos Deputados?”. Maia ainda não respondeu.

No fim da tarde, Bia compartilhou o link de uma matéria sobre o assunto, acusou o Magazine Luiza de racismo e disse que os brancos pobres têm as mesmas dificuldades que os negros. Ela também associou as críticas à sua publicação ao educador Paulo Freire.

Veja a resposta dela.

Vários leitores se manifestaram na página da deputada no Facebook, afirmando que a estavam denunciando por racismo. Seguidores também a questionaram pelo ataque a dois ex-ministros que ela defendia até recentemente, quando ainda faziam parte do governo.

"Cuidado, se você consegue enxergar racismo nesse post ao invés de vê-lo na atitude da Magazine Luiza, o estrago do ensino aos moldes de Paulo Freire pode ter sido muito grande na sua capacidade de interpretar textos e de compreender a vida", respondeu a deputada ao Congresso em Foco, replicando mensagem que publicou no início da noite em suas redes, junto com a imagem.

Na semana passada o Ministério Público do Trabalho (MPT) em São Paulo indeferiu série de denúncias recebidas contra o Magazine Luiza relatando discriminação da empresa em processo de seleção para trainee voltado para pessoas negras. Para o MPT, não se trata de violação trabalhista, mas de uma ação afirmativa de reparação histórica.

No último dia 18, o Magazine Luiza abriu seleção para vagas de trainee exclusivas para pessoas negras. A empresa foi alvo de 11 denúncias no Ministério Público do Trabalho sob o argumento de que a empresa está praticando racismo ao impedir “pessoas que não tenham o tom de pele desejado pela empresa” de participarem do processo seletivo.

Justiça censura matéria de revista após pedido de deputada bolsonarista


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!