Eleição de prefeitos abre 11 vagas na Câmara. Veja quem assume

Nestas eleições municipais 12 deputados federais foram eleitos como prefeitos. Com a posse em 1º de janeiro, os parlamentares darão lugar a 11 novos parlamentares, que devem ocupar o plenário pelos próximos dois anos de legislatura.

Um deles, Deuzinho Filho (Republicanos), que concorria a vice-prefeito de Caucaia (CE) e venceu no segundo turno já é suplente e encontra-se atualmente fora do exercício. Os novos empossados da Câmara não devem alterar as composições de gênero da Casa. Mas pela primeira vez, o Psol elegeu uma parlamentar bissexual, Vivi Reis. Ao assumir a prefeitura do Recife, João Campos (PSB-PE), eleito deputado com 460 mil votos, dará lugar a um deputado eleito com 43 mil votos, Milton Coelho da Silva Neto (PSB).

O PSDB deve ganhar duas cadeiras na casa com a saída de JHC (PSB-AL) para a prefeitura de Maceió, e de Juninho do Pneu (DEM-RJ) para Nova Iguaçu (RJ) – e Danilo Forte, que já foi deputado suplente nesta legislatura, deverá assumir um cargo. O PSD ganha a vaga de Sergio Vidigal (PDT), eleito prefeito de Serra (ES). O PL pega a vaga de Margarida Salomão (PT), eleita prefeita de Juiz de Fora (MG), mas perde a cadeira de Paulo Marinho Jr., eleito vice-prefeito de Caxias (MA). Outras cinco trocas serão entre políticos do mesmo partido.

As lideranças partidárias apontam que estas posses devem ocorrer a partir de 1º de janeiro, quando os eleitos a cargos nas prefeituras irão fazer o processo de desincompatibilização dos cargos.

> Quem são os 57 prefeitos eleitos no segundo turno
> PSDB governará 34 milhões de brasileiros e PIB de R$ 1,4 trilhão

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!