Eduardo Paes e Freixo ameaçam reeleição de Crivella no Rio

A crise econômica enfrentada pelo Rio de Janeiro embaralhou o cenário das eleições municipais do próximo ano. Pesquisa Datafolha explica que, hoje, o atual prefeito Marcello Crivella (Republicanos) é rejeitado por 72% dos cariocas e por isso não seria reeleito, o que já fez o presidente Jair Bolsonaro descolar sua imagem da de Crivella. A disputa ficaria, então, entre o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o deputado federal Marcelo Freixo (Psol), que é apontado como o candidato de Lula para a eleição carioca em 2020.

> “Se sumir carteira, já sei quem é”, diz Bolsonaro ao ver flamenguista

A pesquisa Datafolha, divulgada nesse domingo (15), mostra que a rejeição à gestão de Crivella subiu de 61% para 72% entre março e outubro deste ano. Hoje, a gestão é avaliada como ruim ou péssima por quase todos os setores da sociedade carioca. Até os evangélicos, que ajudaram a eleger Crivella depois que ele se licenciou da Igreja Universal, têm críticas à prefeitura: 56% desse público avalia como ruim ou péssima a gestão Crivella.

> Doria, Paes e Bebianno conversam sobre eleição no Rio de Janeiro

Por isso, Crivella aparece com apenas 8% das intenções de voto para o próximo ano. Quem surge na frente da disputa municipal é o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), que registrou 22% das intenções de voto em outubro e aparece empatado tecnicamente com Marcelo Freixo. O deputado do Psol, que já tem feito reuniões com o ex-presidente Lula, deve ser, então, o nome da oposição na eleição carioca em 2020, já que os outros possíveis candidatos de esquerda - como Martha Rocha (PDT), Eduardo Mello (Rede) e Benedita Silva (PT) - só aparecem depois de Crivella na pesquisa eleitoral.

Crivella ainda não comentou os resultados do Datafolha. Já Bolsonaro foi questionado sobre o estudo nesse domingo e disse que gostava de Crivella, mas não ia apoiar ninguém no Rio em 2020. "Gosto do Crivella, me dou bem com ele. A população é quem vai decidir o futuro prefeito lá", disse o presidente.

O DEM, Eduardo Paes e Lula também não se manifestaram sobre os dados. Mas Freixo, que tem atuado contra a crise econômica do Rio com a ajuda da bancada de oposição da Câmara, comemorou o resultado. O deputado ainda recebeu o apoio de seguidores e de representantes de outros partidos de oposição. "Defendo que o PT apoie o Freixo como candidato a prefeito do Rio de Janeiro", disse, por exemplo, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) nas suas redes sociais.

"Fico honrado pela lembrança dos eleitores e feliz por ver que o carioca está disposto a dizer não aos grupos criminosos e ao projeto de violência de Bolsonaro e Crivella", disse Freixo, em um tuíte que teve mais de 5,5 mil likes. Veja:

> Marcelo Freixo defende união da esquerda para evitar ditadura

> Lula convoca Haddad, Freixo e aliados a lutarem todos os dias

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!