Oposição vê “manipulação barata” em carta do MEC às escolas

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (PT-RS), acusou o Ministério da Educação de fazer "manipulação barata" por ter enviado, às escolas brasileiras, um pedido para o primeiro dia letivo de 2019: que professores, alunos e funcionários leiam "trechos curtos" uma carta do ministério, cantem o hino nacional diante de uma bandeira do Brasil e enviem um um vídeo da cerimônia à pasta.

"Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!", diz o texto da carta.

Pimenta afirmou que a oposição na Câmara deverá "ingressar com uma representação por crime de responsabilidade contra o Ministro da Educação", Ricardo Vélez Rodriguez. Para o petista, a carta é "um panfleto da campanha do Jair Bolsonaro em um minuto", devido à frase "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos", que o preside usou nas eleições no ano passado.

O Ministério da Educação afirma, em nota, que "a atividade faz parte da política de incentivo à valorização dos símbolos nacionais", mas ressalta que o cumprimento da recomendação é voluntário.

O deputado José Medeiros (Podemos-MT) criticou as reclamações da oposição. "Achei relevante essa indignação porque eu descobri que eles [oposição] estão começando a ficar do lado da Escola sem Partido", ironizou. "Se o ministro não pode mandar uma carta para ser lida nas escolas, muito menos poderia haver doutrinação dentro da escola, fazer apologia", completou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!