Associação indígena vai processar Bolsonaro por racismo

A líder indígena Sônia Guajajara, coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), afirmou nesta quinta-feira (23) que vai à Justiça contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo crime de racismo.

> Mourão convoca reunião para regular Conselho da Amazônia

A decisão foi tomada após o militar afirmar ontem, durante live sobre o Conselho da Amazônia, que o "índio está evoluindo" e que "cada vez mais é um ser humano igual nós".

"Nós, povos indígenas, originários desta terra, exigimos respeito! Bolsonaro mais uma vez rasga a Constituição ao negar nossa existência enquanto seres humanos. É preciso dar um basta à esse perverso!", disse Guajajara no Twitter.

A fala de Bolsonaro provocou comentários também de parlamentares da oposição. A deputada Sâmia Bonfim (Psol-SP), por exemplo, chamou o militar de "fascista ignorante e nojento".

Já o senador Fabiano Contarato (Rede-ES), afirmou que a fala de Bolsonaro foi racista e que ele não respeita as tradições indígenas, além de estimular a invasão em suas terras. "O que mais falta ele falar ou fazer? Temos de rejeitar, veementemente, essas agressões!", completou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!