Congresso em Foco

O presidente Jair Bolsonaro e os comandantes das Forças Armadas.[fotografo]Marcelo Camargo/Agência Brasil[/fotografo]

Após fala de Pujol, Bolsonaro alfineta militares: “autoridade suprema do Presidente”

13.11.2020 20:07 19

Publicidade

19 respostas para “Após fala de Pujol, Bolsonaro alfineta militares: “autoridade suprema do Presidente””

  1. Edison Sampaio disse:

    (kekeke!!!). Aprendi e levo a sério a seguinte máxima: SE PUXOU O REVÓLVER, TEM QUE ATIRAR, para não passar o vexame de ter q recolocá-lo no coldre e recuar. Isso serve prá muitas atitudes na vida. Essa conversa de “comandante supremo” é prá quem está com o fuzil engatilhado na mão. O resto é protocolar. Há q se ter respeito… No momento em q os Generais se revoltam com os prepotentes, pernósticos…
    O certo é q o Capitão Encrenca teve q recuar diante do General…

  2. Rodrigo Homer disse:

    Agora que o bicho pegou pro lado deles, vêm com essa conversa, hehehehe. Mas bem que muitos surfaram na onda do mito dos bobos até aqui. Na hora de manterem-se intocáveis frente às reformas da previdência e terem preferência em nomeações em cargos grandes do executivo, era Bolsonaro pra cá, Bolsonaro pra lá…agora querem distanciamento. Abraçou o capeta, filho, assume e casa logo, kkkkkk

  3. Jorge Teixeira Carneiro disse:

    Não está bom?
    Então tomem o poder, coloquem uma junta militar e decretem o fechamento do Congre$$o.
    rsrsrsrs….
    Façam uma revolução militar, como Fidel Castro fez.
    E desta vez fiquem 60 anos.

    • Rodrigo Homer disse:

      Pois é, como eu digo: que país democrático e desenvolvido tem tanto militar no governo? Volta e meia eu faço essa pergunta e ninguém sabe me responder. E ainda tem quem defenda essas aberrações que temos hoje no comando da nação…inclusive viúvas e viúvos da ditadura militar, vai entender, né Jorge?

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        Tem gente que ama de paixão uma ditadura militar.
        Fidel é amado por milhões depois de 61 anos seguidos, continua governando.

        • Rodrigo Homer disse:

          Pois é…enquanto isso, aqui mesmo no Brasil, teríamos o mesmo cenário se os militares continuassem no comando e não entregassem, por medo de terem que consertar as próprias cagad@s, ao governo civil em 86. Se até hoje tem quem chame Ustra de herói, né…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Ultra só matou gente boa.
            Malvado.
            Todo mundo que queria a democracia.

          • Rodrigo Homer disse:

            De novo esse ciclo sem fim…não adianta né, seu Jorge? Pergunta aí pras famílias que tiveram entes desaparecidos, torturados ou formalmente reconhecidos como mortos, se todos estavam envolvidos com grupos radicais armados. Aliás, grupos radicais é que eram a minoria pois é só rever as situações em que foram mortos em ações de emboscadas que qualquer perícia vai destacar o nível da covardia dos “bravos militares”.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Procurei uma lista e não achei.
            Deveria ter uma lista, afinal é fato consolidado.

          • Rodrigo Homer disse:

            Postei um link aqui com uma lista mas não publica. Dá uma googada que vc acha, dentro da wikipédia.

            No Museu da Resistência, em SP, caso o senhor se interesse algum dia, tem vasto material também.

            Mas o que me choca de verdade, é esse pensamento de “ah, só matou e torturou gente que não presta”. Será? Esse é o mesmo pensamento que avaliza ações violentas em comunidades e bairros periféricos, onde trabalhador é esculachado pela polícia unicamente pelo local em que vive pois se fosse em bairro nobre a abordagem seria outra. Mas como é periferia, “ah, com certeza todos ali devem”. Lamentável…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Periferia é fogo mesmo.
            É uma guerra eterna de afros, parece o continente africano.
            Aqui no RJ então tem diversos grupos armados, cada um com um nome e a esquerda esculacha só o grupo que anda fardado, xcomo se fossem só eles que fizessem a violência.

          • Rodrigo Homer disse:

            Claro que não são só eles quem fazem a violência mas o “grupo fardado” representa o Estado então não podem penalizar cidadão trabalhador, como fazem muitas vezes. Os casos abundam, é só relembrar matérias como as do garoto que foi morto pela polícia DENTRO DE CASA, da garotinha que levou tiro indo pra escola…nem precisa se esforçar.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Na maioria das vezes, o cidadão trabalhador é trabalhador no estilo PSOL.

          • Rodrigo Homer disse:

            Explique melhor, vamos ver onde isso vai dar….

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Trabalhador tipo Boulos e caterva.

          • Rodrigo Homer disse:

            O Boulos não trabalha?

  4. RN disse:

    Nosso (covarde) presidente, sempre querendo se auto-engrandecer. O “supremo” líder. Parece que sonha em ser aquele coreaninho pai d’égua do king Jon un.

  5. O Capitalista disse:

    O exercito ficou calado em cada loucura e em cada crime que famili bozo fez, agora ficaram com medo de entrar em conflito contra os americanos? nop, vão tudinho invadir miami, e e levem os minions e bozo junto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via