Moro saiu. E daí?

auxilio emergencialBrizolaciro gomesHaddadimpeachmentJair BolsonaroJoyce HasselmanLava-JatoLuiz Henrique MandettaLulaPaulo GuedesRonaldo CaiadoSérgio MoroWilson Witzel
Comentários (3)
Comentar
  • Nestor Oliveira

    O próximo passo de Bolsonaro será a demissão de Guedes, tornado obsoleto e descartável pelo vírus. O ministro da infraestrutura parece o homem talhado para assumir a economia, no processo de reconstrução.

  • Nestor Oliveira

    Capelli é preciso na análise e não se deixa enrolar por lorotas. Moro já era e Bolsonaro jogou uma cartada temerária. Não podia ter feito outra coisa. Sua formação militar sempre dará primazia aos princípios basilares da ‘autoridade’, da ‘hierarquia’ e da ‘disciplina’. O contrário, como deixou claro no discurso, é a desmoralização. Os generais do Planalto sabem disso, e por esse motivo não têm como contê-lo. Quanto à esquerda, na briga entre Bolsonaro e Moro, é melhor ficar com briga.

  • Vittorio Serafin

    Com os antecedentes do “jornalista” alguém do mundo espera uma análise isenta ou uma análise nojenta ? Os governos Dilma e do Lula, colocaram para fora uns 10 ministros da Saúde e da Justiça ? E quais foram as razões ?