EUA x Irã: Bolsonaro se encontrará com Heleno antes de se posicionar

Augusto Helenocombustívelestados unidosGabinete de Segurança institucionalGeneral HelenoGSIirãJair Bolsonaropalácio do alvoradapetróleoTerceira Guerra Mundial
Comentários (2)
Comentar
  • Reinaldo Paim

    Tempos atrás a Argentina resolveu apoiar os israelenses e americanos nos conflitos contra o Irã. Resultado: Dois atentados a entidades de Israel em território argentino, e um clima de pânico que se alastrou sobres os argentinos por um bom tempo.
    São raros os atentados por questões étnicas na América do Sul, e raríssimos quando por questões do Oriente Médio. Deve-se a este fato a neutralidade dos países sul-americanos em conflitos alheios, cujo histórico configura-se em Estados não beligerantes. Totalmente desprotegidos e incapazes de resolver conflitos internos, quiça os externos, não dispomos de nenhum aparato, verba ou experiência para lhe dar com o terrorismo.
    Nossa neutralidade, além de paz, garante vantagens político-econômicas de suma importância, visto que somos um País sustentado nas commodities que vende tanto para girondinos como jacobinos. Temos acordos comerciais com o Mundo todo e nunca houve se quer uma Nação que impusesse ao Brasil a escolha de um lado. Cabe ao Brasil afirmar a autodeterminação dos Povos, respeitar as leis internacionais, prezar pela imparcialidade e, sobre tudo, manter-se neutro em suas declarações oficiais, pois quando se trata de Estado, palavras são atos, por mais idiotas e tosca que elas possam ser.

  • Luiz Ernani da Silva

    Ora, “juízo de valor” de quem não tem nada de valor, esdruxulo. Vá se catar bolsoimbecil.