Congresso em Foco

Nazismo surgiu na Alemanha na década de 1930 e levou ao holocausto e à morte de 6 milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial[fotografo]Reprodução / EBC[/fotografo]

Brasileiros contestam vídeo da Embaixada Alemã sobre o nazismo

17.09.2018 17:17 5

Publicidade

5 respostas para “Brasileiros contestam vídeo da Embaixada Alemã sobre o nazismo”

  1. Fernando Luis disse:

    O nazismo é de direita, sim. Qualquer dúvida? Vide Bolsolixo, ameaçando a esquerda, negros, mulheres. Nazismo jamais foi de esquerda, é de direita, sempre foi.

  2. Fábio disse:

    O texto é mal escrito, com todo respeito, porque coloca no mesmo balaio (para um leitor desavisado) os negacionistas e aqueles que rotulam o nazismo de esquerdista, coisas diferentes evidentemente.
    De fato, é uma estupidez e até uma desumanidade negar o holocausto. As tragédias geradas pelos regimes totalitários do século XX, do nazismo aos socialismo (que conseguiu matar muito mais) não podem ser esquecidas, sob pena de a história se repetir. Que não nos esqueçamos dos gulags e nem dos campos de concentração.
    Já a discussão teórica sobre o nazismo ser de esquerda ou de direita é perfeitamente válida e muito viva na academia. Não há consenso sobre isso. Estudiosos liberais e conservadores, com argumentos riquíssimos, sustentam ser o nazismo de esquerda, algo que deve ser considerado e não descartado preguiçosamente.
    Há muito mais semelhanças entre o fascismo e o comunismo do que entre o fascismo e as democracias liberais. Mussolini tem formação socialista, assim como Hitler. O partido nazista, em sua época (e a documentação é vasta neste sentido), era tido como uma dimensão do socialismo, como uma variação do regime comunista, sendo que Hitler e Stálin foram aliados durante muito tempo e depois entraram em conflito por disputas territoriais, não por divergências ideológicas. Há também muitos documentos no sentido de que a esquerda em toda a Europa quis se aliar ao nazismo, e entre os colaboracionistas em França, por exemplo, estavam acima de tudo os esquerdistas. Quem reagiu ao nazismo, senão os conservadores? Churchill não era conservador?
    Tanto o socialismo quanto o nazismo defendem utopias coletivistas, líderes carismáticos, um Estado grande, o controle estatal da economia, a censura a ideias divergentes, a perseguição política a adversários, uma visão nacionalista, a doutrinação ideológica nos bancos escolares, e por aí vai. O que essas coisas têm a ver com os ideários conservadores ou liberais para o nazismo ser rotulado equivocadamente como de direita? Notem como não faz sentido algum aquilo que aprendemos sem questionar, como é um clichê cheio de incoerências.
    Nazismo e socialismo não estão em polos opostos, mas em um mesmo polo e em outro a democracia liberal. Basta pensar quem guerreou em primeiro lugar contra os nazistas. O que o nazismo tem a ver com liberdade de expressão, liberdades individuais em geral, livre mercado, Estado mínimo, propriedade privada, dentre outras coisas para ser tido como de direita? Absolutamente nada! Fascismo e socialismo são primos irmãos. Pesquisem como surgiu o fascismo. Cérebro é para pensar minha gente. Aprendemos um monte de besteiras com nossa educação de viés esquerdista sem questionar, mas com a circulação de ideias na internet estes dogmas estão sendo finalmente questionados e, muitas vezes, ridicularizados. Foi o caso da embaixada alemã, cuja versão somente poderíamos aceitar sem questionar se fosse o caso de engolirmos um falacioso argumento de autoridade.
    Com a ascensão da nova direita, é bom a esquerda já ir se acostumando a ter todas as suas “verdades” preguiçosamente repetidas refutadas e questionadas. Vivemos a maravilhosa era da guerra cultural e as mentiras da esquerda não passarão mais incólumes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via