Congresso em Foco

José Serra[fotografo]Edilson Rodrigues/Ag. Senado[/fotografo]

Lava Jato denuncia Serra por lavagem de dinheiro e faz buscas contra o senador

03.07.2020 07:40 17

Publicidade

17 respostas para “Lava Jato denuncia Serra por lavagem de dinheiro e faz buscas contra o senador”

  1. Jorge Teixeira Carneiro disse:

    É o que eu sempre disse PT = PSDB

    • e é então pq o psdb votou pelo impichim?? deixa de ser ridículo

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        Fernando Henrique e Lula já somam 25 anos de coabitação

        CYNARA MENEZES

        DA REPORTAGEM LOCAL

        São no mínimo 25 anos de convivência, algumas vezes no mesmo campo, noutras em campos
        opostos. Agora que ambos se
        tornaram presidentes, será finalmente (como Humphrey Bogart
        e Claude Rains em “Casablanca”) o início duma bela amizade?

        O intelectual Fernando Henrique Cardoso e o metalúrgico
        Luiz Inácio Lula da Silva se conhecem, segundo relatos de amigos, pelo menos desde 1977. Naquele ano, Lula, Marisa e filhos
        chegariam a se hospedar na casa
        de praia de Fernando Henrique,
        em Picinguaba, litoral paulista.

        FHC não estava lá. Como ele tinha ido passar alguns meses
        dando aulas na Universidade de
        Paris, cedeu a casa ao amigo
        Eduardo Suplicy. Lula, convidado a ficar um fim-de-semana ali,
        ficou extasiado com a paisagem.
        Só reclamou dos mosquitos.

        Ao voltar da França, FHC se
        aproxima do movimento operário que incendiava o ABC paulista, liderado por Lula. Vendo o
        domínio dos sindicalistas sobre a
        massa enfurecida, lutando por
        seus direitos em pleno regime
        militar, o acadêmico declararia
        que tinham “uma capacidade de
        comando de dar inveja”.

        Lula era considerado por FHC,
        nessa época, “um fenômeno da
        natureza”. Que, em 1978, apoiaria o novo “companheiro” em
        sua candidatura ao Senado:
        “Preferi remar contra a maré e
        apoiar o homem que eu achava
        ser o melhor dos candidatos”,
        declarou. Ele e FHC chegam a se
        juntar para fundar um novo partido, com os chamados “autênticos” do MDB. Mas, enquanto os
        políticos queriam cautela, os sindicalistas tinham pressa.

        “Estou cansado de ouvir: “Lula,
        não é o momento oportuno. Lula, a repressão está aí'”, declararia
        o metalúrgico em 1979, um ano
        antes de decidir fundar o seu PT
        -sem FHC, que fez “reparos
        quanto à oportunidade” de se
        criar um novo partido desde o
        princípio. Queria Lula no PMDB.

        O senador Eduardo Suplicy
        (PT-SP), em cuja casa ocorreram
        muitas dessas reuniões, acha que
        a idéia não prosperou por uma
        razão simples: tanto Lula quanto
        Fernando Henrique queriam liderar a nova legenda. “Cada um
        avaliava que seria o líder maior
        da organização que se formasse.
        Tinham dificuldade de aceitar a
        liderança um do outro, e ficava
        muito difícil para ambos ficar no
        mesmo partido”, diz Suplicy.

        Essa rivalidade fica patente em
        uma história que Lula adora contar, dos tempos de líder sindical:
        “Tinha ido jantar de madrugada
        com o Fernando Henrique, que
        era suplente de senador e disse
        ter informações de que não tinha
        como a polícia intervir no sindicato. Lá pelas três da manhã, eu
        já estava cochilando no sofá
        quando o pessoal gritou: “A polícia cercou o sindicato!” Ele já não
        era um bom analista político”.

        Já FHC gosta de falar que Lula
        não criou o PT. “Quem fundou o
        PT foi Benedito Marcílio, que era
        líder do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e deputado
        federal. O Lula entrou porque
        competia com Marcílio, que era
        o líder maior na região”, disse a
        Roberto Pompeu de Toledo.

        Egos à parte, nomes próximos
        aos dois dizem que a admiração
        não cessou nem mesmo nos momentos mais difíceis. “Fernando
        Henrique sempre simpatizou
        com o Lula”, diz Frei Betto, amigo do presidente eleito. Em 1983,
        quando começa o movimento
        pelas diretas, Lula e FHC voltam
        a dividir o mesmo palanque. Em
        seguida, depois que a emenda
        Dante de Oliveira, que previa as
        eleições para presidente, é derrotada, divergem no apoio a Tancredo Neves no colégio eleitoral.
        O PT se recusa a participar.

        A gota d’água no relacionamento entre FHC e Lula ocorre
        em 1985, quando o primeiro é
        derrotado por Jânio Quadros para a Prefeitura de São Paulo. FHC
        acusa o candidato petista, Suplicy, de ter feito uma campanha
        “demagógica”. Em 89, FHC não
        dá o apoio esperado a Lula no segundo turno, contra Collor.

        Como se explica a felicidade do
        presidente em passar o cargo a
        Lula? Todo mundo tem sua teoria. Cândido Mendes diz ver “a
        volta do pensador” na atitude do
        presidente de facilitar a transição: “O eu profundo dos dois
        marchou para a mesma foz”.

    • Felix disse:

      Você então sempre errou na sua avaliação.

  2. Jorge Teixeira Carneiro disse:

    Mais um socialista ideológico que se vai. Rest in Peace.

    • socialista, o psdb do príncipe neoliberal? fakeeeeeeee

      • Ernesto Freire Pichler disse:

        Esse carneiro não tem a mínima ideia do que seja um socialista.

        • Jorge Teixeira Carneiro disse:

          Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

          José Serra

          José Serra Chirico,[1][2] mais conhecido como José Serra (São Paulo, 19 de março de 1942), é um político brasileiro. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), é Senador pelo Estado de São Paulo. Foi ministro das Relações Exteriores do Brasil, compondo o governo Michel Temer, até pedir demissão no dia 22 de fevereiro de 2017 por problemas de saúde.[3]Serra nasceu no bairro da Mooca, em uma família de classe média baixa. Seu pai era um imigrante italiano casado com uma brasileira. Em 1960, ingressou no curso de engenharia civil na Universidade de São Paulo, passando, nessa mesma época, a atuar no movimento estudantil. Foi um dos fundadores da Ação Popular e presidente da União Nacional dos Estudantes. Serra não concluiu o curso pois teve que sair do país depois do golpe militar de 1964, devido à perseguição por sua militância política de esquerda. Refugiou-se em embaixadas de outros países e radicou-se no Chile, onde conheceu sua esposa, Mónica Serra, com quem teve dois filhos nascidos naquele país. Neste mesmo período estudou na Universidade do Chile. Ficou no país até o golpe militar de 1973, quando foi para os Estados Unidos, onde estudou na Universidade de Corne

          • Ernesto Freire Pichler disse:

            Está-se vendo, então, que não é um socialista. No máximo um socialdemocrata ou social-liberal. Fui colega do Serra na Poli, e minha chapa para o grêmio, dos comunistas, sempre disputou contra a AP, católica, do Serra.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Em 1965, foi adotada uma Resolução que formulou abertamente o
            objetivo de conquistar o poder pela via insurrecional, por meio da
            estratégia da Revolução Socialista da Libertação Nacional[1].
            Nesse momento Aldo Arantes passou a ser o novo Coordenador Geral em
            substituição a Betinho que tinha sido eleito em 1963. A AP passou a
            publicar um novo jornal mensal chamado “Revolução” que era impresso por
            meio de mimeógrafo. Em 1966, a AP voltou a ser a força hegemônica na União Nacional dos Estudantes[7] cujo presidente passou a ser José Serra

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        PRESIDENTE UNE NA B A L B Ú R D I A DE 1963

  3. depois de 14 anos e uma revelação de conluio com os eua e eis que a vaza-jato descobriu o psdb

    QUATORZE ANOS um mega corrupto e chefe de esquemas ficou solto, ocupando cargos no estado, decidindo ações, criando esquemas.

    serra fosse do petê a velocidade era outra…

  4. RODRIGO disse:

    ESSA LAVA JATO AINDA TEM MUITA GENTE ENVOLVIDA

    FALTA GENTE DO STF, FALTA RODRIGO MAIA, FALTA DAVI ALCOLUMBRE

    TEORI ZAVASCKI SOFREU SABOTAGEM COM TODA CERTEZA
    ELE SABIA DE TODOS OS ENVOLVIDOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via