Congresso em Foco

Rodrigo Maia, presidente da Câmara. [fotografo] Marcelo Camargo / Agência Brasil[/fotografo]

Maia indica agente para presidir mudanças na PF e cria tensão na corporação

09.03.2020 17:56 10

Reportagem

10 respostas para “Maia indica agente para presidir mudanças na PF e cria tensão na corporação”

  1. ALINE BASTOS CAVALCANTE disse:

    Esdrúxulo é alguém virar chefe sem QQ experiência.
    E não se trata de virar delegado sem concurso… Sejam honestos com os leitores. Trata-se de concurso ÚNICO, com entrada pela base e progressão por merecimento até os cargos de chefia. En QQ lugar do MUNDO é assim. Só no Brasil existe essa situação de chefe a jato. Vemos que funciona, né?! SQN

    https://media0.giphy.com/media/xT5P0znm3a6Xd3QKzu/giphy.gif

  2. JA Viana Jr. disse:

    Cheirinho de matéria paga por uma certa Associação de Delegados. Jornalismo independente passou longe. Leia a MP, premiada jornalista.

  3. Zaqueu Reclama disse:

    Samanta Sallum com 25 anos de jornalismo e pelo visto não aprendeu nada sob redação. Reportagem totalmente tendenciosa, com posição partidária ao cargo de delegado (cargo existente tão somente no Brasil, cuja burocracia do referido cargo de escritório, causa a falaciosa estatística de 4% na elucidação dos crimes), não procurou o outro lado da história que é a verídica. Situação esdrúxula é ter lido um texto tão tendencioso. Situação esdrúxula e a população tomar conhecimento de que a pessoa pertencente ao cargo por ela defendido não coloca o pé na rua para investigar. Toca seu falido INQUÉRITO (modelo inquisitorial da época do Brasil colonia) de dentro da sala com ar refrigerado e café quentinho. Mas infelizmente é essa a imprensa brasileira, mais marrom que a própria cor denominada.

  4. Paulo Leirinha disse:

    A jornalista deveria ter se informado melhor sobre o assunto. Essa matéria tem equívocos absurdos.

  5. Edson Braga disse:

    Isso parece ser mais uma reportagem comprada pela associação corporativista dos delegados (Cargo esse que só existe nas colônias do Brasil e da Guiné-Bissau).
    R.I.P. jornalismo…

  6. Léo Junior disse:

    Parece q a matéria foi feita sob encomenda pelos delegados. Progressão pro cargo de delegado sem concurso? A jornalista leu as emendas à MP e encontrou isso em algum lugar? Outra coisa, não existe hierarquia entre cargos na PF. Sem contar q existem inúmeros setores onde não há delegados, portanto, um agente poderia ser chefe sem jamais chefiar um delegado. Matéria mal redigida, demostrando desconhecimento sobre o assunto…

  7. Fernando Romanon Nunes disse:

    Se vê que a ilustre e premiada jornalista não entende NADA do funcionamento da Polícia Federal e das inúmeras discussões a respeito da necessidade da carreira única, que, em praticamente todos os países do mundo, é o modelo utilizado quando se fala em eficácia e efetividade nas investigações investigações policiais. Cita como esdrúxula uma situação em que um agente possa chefiar um Delegado, mas deixa eu te contar uma situação ainda mais esdrúxula senhora Samanta. Uma pessoa se forma em direito e, sem nenhuma experiência policial, passa no concurso para Delegado, formando-se na Academia Nacional de Polícia após 4 meses e meio de aulas, na maior parte teóricas e então chega de paraquedas em sua primeira lotação em uma região de fronteira, onde, por falta de efetivo passará, em poucos meses a chefiar uma Delegacia na qual são lotados Policiais (Agentes, Escrivães, Papiloscopistas) com 10/15/20 anos de prática policial. Isso não lhe parece soar muito mais esdrúxulo?!?! O Brasil precisa do ciclo completo de Polícia e de uma Polícia de verdade, onde a meritocracia seja o principal critério de ascensão na carreira e não pelo fato de fulano simplesmente ter o cargo de Delegado. A carreira única é a solução mais viável para o Brasil como já provou ser em todos os países mais desenvolvidos do mundo. As únicas pessoas que não concordam com isso são exatamente as que, como a senhora, acreditam que ser Policial é simplesmente conhecer as leis.

    Procure conhecer melhor sobre um assunto antes de escrever textos claramente tendenciosos.

  8. Matheusfoxbrasil disse:

    A jornalista esqueceu de mencionar que só no Brasil e na ilha de Cabo Verde que existe a figura do delegado, como concebido no Brasil…
    “Coisa boa a gente copia”

  9. Paulo Tarso disse:

    Ótima notícia. Mas não entendi o final da reportagem “Também permite que agente e outros servidores assumam cargos de chefia, hoje apenas permitido a delegados. O que causaria situações esdrúxulas, como agente chefiando delegado.
    Os representantes de agentes defendem carreira única, a progressão de cargo para delegado sem concurso público.”

    Faltou um pouco de estudo antes de fazer reportagem, na carreira única não existe o cargo de delegado, como em outros países com melhores índices de resolução de crimes, logo ninguém vai progredir a delegado. E também não entendi o problema de Agente chefiando Delegado, são dois servidores públicos que passaram em concurso público. Apenas como exemplo o MJ que chefia toda a PF não precisa ser delegado, não precisa ser formado em nada, apenas precisa ser nomeado pelo presidente. Esse tipo de falácia atrapalha a evolução das polícias no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via