Vida longa ao Prouni

Caminhar pelas ruas logo após a divulgação dos resultados do vestibular sempre mexeu comigo. Ver aquelas faixas orgulhosas de parabéns aos aprovados é a marca do início de uma série de mudanças na vida do estudante e de suas famílias. Graças ao Prouni, que completa dez anos em 2014, milhares de jovens em todo país que não teriam condições de frequentar uma faculdade estão lá, estudando e ajudando a construir as transformações sociais de que tanto precisamos. A educação brasileira tem enfrentado muitos desafios e já consolidamos mudanças decisivas no acesso à educação superior, embora ainda tenhamos muito que avançar.

Nesses dez anos, muitas coisas mudaram. A universidade não é mais um espaço de poucos privilegiados e o próprio vestibular está dando lugar às provas do Enem. Alcançamos significativos avanços. Desde que o Prouni foi implementado, 396.050 mil bolsistas se formaram no ensino superior. Nesse mesmo período, o acesso à universidade chegou para 1,27 milhão de estudantes em todo o Brasil, segundo dados do governo federal. Os países mais avançados, não por acaso, são os que mantêm mais tempo os seus jovens na escola e nas universidades. Fazer isso no Brasil significa não só manter o estudante dentro do espaço físico das escolas, mas, também, construir um conjunto de incentivos e facilitadores para que o estudante conclua todo o ciclo de estudos. Este continua sendo um dos nossos grandes desafios.

Implementar a assistência estudantil com o intuito de combater a evasão deve ser uma das principais metas. Mesmo para os que possuem bolsas integrais, essa ajuda pode ser determinante para conclusão dos estudos. Os dez anos do Prouni devem ser comemorados, mas é preciso incluir outras necessidades dos estudantes. O aluno pode ter bolsa para estudar Medicina, mas como pagar uma extensa lista de livros que custam R$ 200, R$ 300 cada? Um bom projeto que apoiamos e que auxilia neste sentido é uma proposição do deputado Gustavo Petta (PCdoB-SP) que estende a bolsa permanência a todos os estudantes com bolsa integral do Prouni. O estudante que tem bolsa integral e frequenta turno parcial também terá direito ao benefício para o auxílio com despesas de transporte, de material acadêmico e de alimentação.

As transformações acontecem pela educação. Temos que apostar na escola boa, estruturada, antenada e atraente aos jovens. O caminho para termos uma escola de ensino médio mais próxima do estudante, do mundo e do mundo do trabalho é longo. Mas são grandes os passos dados até aqui. Tenho orgulho de ter defendido o Prouni quando fui da UNE e ter visto, como deputada, esse projeto transformando vidas.

Leia mais sobre o Prouni

Outros textos sobre educação

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!