Perseguição ou justiça

Raramente tenho me manifestado em relação à Operação Lava Jato, mas entendo que est​á no momento de emitir alguma opinião. Antes que alguém avente qualquer outra hipótese​, sou favorável às investigações e ​à punição de todos aqueles que ​praticaram crimes de corrupção. Também é bom deixar claro que,​ até recentemente, não existia no Brasil investigaç​ões  profunda​s​ ​sobre esquemas de corrupção. As investigações pra valer começ​aram​ nos governos ​de ​Lula e Dilma​, do PT. Foi no governo do PT que se aprov​aram várias leis facilitando as investigações de corrupção. Foi também no governo do PT que foram​ dada​s ​a liberdade e a autonomia ​à Policia Federal (PF) para investigar.

Foi no governo de Lula e Dilma que o procurador​-geral da República deixou de engavetar pedidos de investigação, seja​m eles formulado​s​ pela PF ou mesmo pelo poder ​Judiciário.

Minha manifestação sobre a Operação Lava Jato diz respeito ao método usado pelo juiz Sérgio Moro, PF e Ministério Público. Até o momento​, há várias questões de método que t​êm de ser questionadas. A primeira delas é se pautar,​ em muitas ocasiões​,​ na ​mera ​palavra de delatores e não em documentos comprovatórios.

Sabemos que a punição a qualquer criminoso (​isso vale para ​qualquer tipo de  ​delito) depende de séria investigação, com testemunhas e, principalmente, documentos. E, no caso da Lava Jato,​ tem ​sido dado muito peso  ​à palavra de delatores e, muitas vezes​,​ não se leva em consideração que todos ​eles ​são criminosos. Não se leva em consideração que estão ​dando declarações​ para diminu​ir​ a própria pena. Há tristes momentos ​em ​que inclusive foram tratados como heróis.

Creio que a Lava Jato, pelo tudo que rola de vazamento na imprensa, est​á farta de documentos. Se não estiver​,​ é porque a imprensa est​á​ mentindo. ​E há empresas d​e mídia que já mentiram muitas vezes.

Esta semana foi deflagrada a vigésima fase (quantas serão?) da Operação Lava Jato. Nesta fase,​ como nas anteriores​,​ foram cumpridos ​alguns​ mandados de busca e de detenção de pessoas no Rio e na Bahia.

A pergunta  ​sobre ​quantas fases serão não é de um curioso, ou de um inocente. É a pergunta de alguém que quer ver todos os corruptos do Brasil serem punidos. É alguém que cansou de ver a justiça sendo injusta. Mas, também​,​ é a pergunta é de alguém que est​á​ preocupado para que​, em nome da justiça​, não se faça a perseguição. Para que​,​ em nome da justiça, não se faça ‘justiça pelas próprias mãos’.

Sobre a ​vigésima fase (quantas fases serão?) da Operação Lava Jato, Fernando Brito​,​ no seu​ blog​ “Tijolaço”​,​ registra que aqueles que acompanham as investigações policiais sabem que o “bote” para prender o criminoso só é dado após “reunir uma massa considerável de informações e indício de crimes”.

No entanto​,​ não é assim que age a Operação Lava Jato. Nela​,​ define-se o “alvo”, ou​,​ se ​preferir, a caça​. ​"Então, vai-se juntando o que sustente a persecução penal dos “alvos”.​ ​Degrau por degrau ​- ​parece que o “da vez” é o ex-presidente da empresa, José Sérgio Gabrielli​ -​ em direção a um objetivo pronto, que todos sabem quem é: Lula.​"​

Já em fase anteriores era possível concluir que o objetivo da Lava Jato não é só apurar a corrupção​. É também criminalizar um partido e​,​ dentro deste partido​,​ uma pessoa, Lula.

Há muitos fatos que indicam isso: (1) vaza​m-se documentos devidamente e ideologicamente separados para incriminar o PT; (2) expõe, em conluio com a mídia, pessoas detidas, desde que tenha qualquer relação com o PT, mesmo que depois não consiga provar nada contra ela (exemplo: cunhada de Vaccari); e (3) faz aquilo que nem a ditadura fez, quebrar, sem nenhuma suspeita, o sigilo telefônico do partido.

Os operadores da Operação Lava Jato, até que provem o contrário, além de investigar, quer​em​caçar o presidente Lula, por isso a perseguição.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!