Na crise, líderes precisam saber escolher a palavra certa

Com a vida online desde o início do isolamento social da covid-19, a comunicação é 100% digital. O mundo virtual é o novo normal. Entrevistas, reuniões de trabalho, papo com os amigos, empregados em home office, produção de notícias e todo o ecossistema de comunicação passam a ser via plataformas digitais.

>Senado vota projeto que suspende inclusão de consumidor no SPC e na Serasa

Neste contexto, é fundamental que porta-vozes como governantes, gestores, empresários, políticos, autoridades públicas conheçam os protocolos de como conceder entrevistas virtuais. Mais do que isso, precisam estar preparados para que a comunicação seja eficiente e ajude a mitigar a maior crise sanitária e econômica mundial em 102 anos.

Porta-vozes e CEOs sabem que a comunicação na crise é uma questão crucial. É preciso escolher com cuidado de cirurgião quais palavras usar, para não correr o risco de exacerbar ainda mais o contexto de incerteza e medo na pandemia.

Além de se familiarizar com os novos protocolos para passar mensagens claras e eficientes via plataforma digital, líderes e gestores devem atuar quase como escultores de palavras em suas mensagens.

Num artigo brilhante na Harvard Business Review, Carmine Gallo, autor de best-sellers sobre storytelling, ensina que é preciso encontrar as palavras certas na crise e mostra exemplos de líderes que estão comunicando corretamente neste momento. A mídia tem dedicado muito espaço para analisar quais os governantes e porta-vozes têm sido bem sucedidos na comunicação.

O especialista lembra que economistas e CEOs juram que palavras são a ferramenta mais importante no mundo atual. Liderar, hoje, não significa mais comandar e controlar. Agora, o poder se exerce pela persuasão.

>Falta maior apoio popular para impeachment de Bolsonaro, diz líder do PT


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!