Sem aval da Saúde, Bolsonaro facilita abertura de salões e academias

O presidente Jair Bolsonaro publicou decreto para ampliar os serviços considerados essenciais, o que, na prática, não permite que sejam fechados por decisão dos governadores e prefeitos, nem mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. O presidente afirmou que serão inclusas as academias de ginástica, os salões de beleza e as barbearias neste decreto.

"A questão da vida tem que ser tratada paralelamente à questão do emprego. Sem economia não tem vida", disse Bolsonaro.

No domingo (10), o chefe do Executivo havia afirmado que iria criar decretos para abrir o comércio novamente. "Amanhã, devo botar mais algumas profissões como essenciais, aí. Já que não querem abrir, vou eu abrindo”, declarou na entrada do Palácio da Alvorada.

O ministro da Saúde, Nelson Teich, foi pego de surpresa com essa declaração do presidente. Durante coletiva de imprensa ele foi questionado sobre o decreto e afirmou que não foi consultado sobre o assunto. "Essa é uma responsabilidade do Ministério da Economia", disse Teich.

O ministro, entretanto, ressaltou que é necessário pensar em como trabalhar essa reabertura para não colocar em risco a vida da população. Quando questionado se deveria ter sido consultado para orientar a Economia como deveria agir para essa reabertura, Teich limitou a dizer que está a disposição e que mudanças podem ser feitas no meio do

Veja o decreto na íntegra.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!