Itamaraty pede investigação rigorosa sobre queda de avião no Irã

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil pediu uma investigação rigorosa sobre as causas da queda do avião ucraniano que provocou a morte de 176 pessoas no Irã. O posicionamento oficial do Itamaray foi publicado na noite dessa quinta-feira (9), quase 24 horas após do acidente aéreo, só após os Estados Unidos afirmarem que um míssil do Irã poderia ser o responsável pela tragédia.

> Bolsonaro cancela ida a Davos; Guedes está confirmado

"O Brasil espera que as autoridades competentes da área de aviação civil conduzam investigações de maneira rigorosa, com base nas diretrizes estabelecidas na Convenção sobre Aviação Civil Internacional, em colaboração com autoridades ucranianas, para identificar as causas dessa tragédia", afirmou o Itamaraty em nota oficial emitida às 23h dessa quinta-feira. Na nota, o governo brasileiro ainda "estende suas condolências aos familiares das 176 vítimas da queda do Boeing 737-800".

O avião da Ucrânia decolou na manhã de quarta-feira (8) - noite de terça (7) no Brasil - da capital iraniana com destino a Kiev, mas caiu poucos minutos depois de decolar. O acidente ocorreu pouco após o Irã responder o ataque americano que matou o general Qasem Soleimani bombardeando as bases militares dos Estados Unidos no Iraque. Nessa quinta, jornais dos Estados Unidos publicaram um vídeo em que, segundo os periódicos, um dos mísseis lançados pelo Irã atingem o avião da Ucrânia. O Irã, por sua vez, disse que era impossível que o avião tivesse sido abatido por um míssel.

> EUA pedem cuidados extras dos americanos que vivem no Brasil

> Brasil em meio à crise dos EUA e Irã

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!