“Nosso papel é não atrapalhar”, diz Salles ao defender iniciativa privada na área ambiental

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, defendeu nesta quarta-feira (12) a aprovação do marco do saneamento, em tramitação no Senado. Para ele, sem investimento privado, não há como resolver o déficit da área. "Precisamos de um marco que traga previsibilidade e segurança jurídica", declarou em seminário do grupo Voto em Brasília.

> Governo conclui reforma tributária e aguarda “timing” político para enviá-la

Salles defendeu a maior participação do setor privado na área ambiental. "Nosso papel é não atrapalhar", afirmou.

O ministro também declarou apoio à proposta de pagamentos por serviços ambientais. "Hoje 84% das propriedades na Amazônia são áreas de preservação ambiental", observou. Segundo ele, é preciso que empresas possam atuar na região para transformar os produtos da Amazônia em commodities.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

> Ministério do Meio Ambiente vai criar Secretaria da Amazônia

> A crise ambiental e o novo arranjo político-institucional no Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!