“Me dói muito o que ocorre no Brasil”, diz ex-presidente Nobel da Paz

 

Ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 2016, o ex-presidente da Colômbia Juan Manuel Santos (2010-2018) fez duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro em entrevista publicada nesta segunda-feira (27) pelo Estadão. Para ele, o populismo de direita de Bolsonaro prejudica muito o Brasil e toda a América Latina.

“Me preocupa muito, me dói muito como latino-americano o que ocorre no Brasil. O que Bolsonaro faz sobre o meio ambiente e a ordem internacional multilateral, no longo prazo, prejudicará toda a América Latina. A pandemia mostra que falar e atuar só com base na intuição e na ideologia não traz bons resultados”, afirmou o colombiano, que abraçou a causa ambiental desde que deixou a presidência de seu país.

Na visão de Santos, o negacionismo de Bolsonaro e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em relação às mudanças climáticas criará grandes problemas econômicos para o Brasil.

“O mundo está se dando conta rapidamente da importância de políticas de sustentabilidade. Havia uma negação, que muitos líderes no mundo ainda cultivam. Mas as evidências estão nos mostrando que não apenas é um problema, mas uma urgência tomar decisões que permitam preservar o meio ambiente e a biodiversidade. As empresas estão sendo pressionadas a atuar nessa direção. É um bom sinal que muitas empresas em países em que o ambiente está sendo destruído escutem: ‘Se vocês continuarem destruindo, não compraremos seus produtos’."

Santos disse ao Estadão que ninguém na América Latina compreende como o ministro do Meio Ambiente brasileiro nega os efeitos do aquecimento global e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, demonstre preocupação com os problemas ambientais do país. “São as contradições produzidas pelos regimes populistas. Demonstra como regimes populistas são contraproducentes”, avalia.

Ele também condenou o populismo de esquerda no México, com o presidente López Obrador. “É triste para os latino-americanos ver os dois países mais importantes da América Latina nas mãos de populistas. O Brasil, com Bolsonaro, e o México, com López Obrador. Um de direita e o outro de esquerda. Por isso, a América Latina perdeu espaço no mundo inteiro.” Juan Manuel Santos foi agraciado com o Nobel da Paz em 2016 depois de pôr fim à guerra civil na Colômbia, que durou mais de 50 anos e matou pelo menos 220 mil colombianos.

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país   


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!